Resenha: A mulher na janela, de A.J. Finn


A MULHER NA JANELA
Autor: A.J. Finn
Editora: Arqueiro
Páginas: 352
Sinopse: Anna Fox mora sozinha na bela casa que um dia abrigou sua família feliz. Separada do marido e da filha e sofrendo de uma fobia que a mantém reclusa, ela passa os dias bebendo (muito) vinho, assistindo a filmes antigos, conversando com estranhos na internet e... espionando os vizinhos. Quando os Russells – pai, mãe e o filho adolescente – se mudam para a casa do outro lado do parque, Anna fica obcecada por aquela família perfeita. Até que certa noite, bisbilhotando através de sua câmera, ela vê na casa deles algo que a deixa aterrorizada e faz seu mundo – e seus segredos chocantes – começar a ruir. Mas será que o que testemunhou aconteceu mesmo? O que é realidade? O que é imaginação? Existe realmente alguém em perigo? E quem está no controle? Neste thriller diabolicamente viciante, ninguém – e nada – é o que parece. "A Mulher Na Janela" é um suspense psicológico engenhoso e comovente que remete ao melhor de Hitchcock.

Olá Leitores!
Trago para vocês a resenha de um dos melhores thrillers que li esse ano. Desses de bagunçar todos os nosso sentidos e nos fazer pensar e repensar cada cena lida.
Sem mais delongas, vamos conhecer um pouco mais desse livro?

A mulher na janela, de A. J. Finn nos conta a história de Anna Fox, um mulher de meia idade, psicóloga  que sofre de Agarofobia, o que a impede de sair de sua própria casa, pois possui medo de frequentar locais abertos e públicos.

Anna costumava ter uma vida bem diferente. Tinha marido e filha adoráveis, um trabalho que a deixava feliz, uma bela casa numa incrível vizinhança. Agora, ela passa o dia entregue a remédios controlados, filmes policiais antigos e muito vinho.  Além disso, ela costuma espionar a vida de seus vizinhos utilizando uma câmera, onde registra os mais variados acontecimentos.

Um belo dia, Anna percebe que uma nova família se muda para o prédio bem em frente à sua casa. São os Russells, família composta por um casal com um filho adolescente. Como de costume, ela começa a acompanhar a rotina da família até ser flagrada por Jane Russell, que decide ir até sua casa, mas diferente do que ela imaginava que poderia acontecer, ambas conversaram bastante, tomaram vinho e trocaram detalhes de sua vida.

Anna segue com sua rotina até que um dia, enquanto está espionando a casa em frente a sua, vi Jane ser esfaqueada na sala e cair completamente ensaguentada do chão. Ela desconfia que Alistair foi o responsável. Desesperada para tentar salvar aquela mulher, ela chama a polícia e faz algo que nunca imaginou: Se arrisca a sair de casa para ajudar aquela mulher. Infelizmente, o pânico a domina e ela acaba desmaiando.

Ao despertar, Anna diz a polícia que viu Alistair assassinar Jane, mas para a sua surpresa, é a presentada a uma Jane Russell, completamente diferente da mulher que visitou a sua casa. Mas como isso é possível? Ela tem certeza do que viu! Ou será que não? "Não é paranoia se está realmente acontecendo".

Agora, Anna precisará enfrentar desafios, desconfianças e fantasmas do passado para provar que está falando a verdade e não deixar um crime que acredita ter visto, ficar sem a devida punição! O que ela não imagina é que isso será tem mais difícil que imagina...


Eletrizante!
A Mulher na Janela irá consumir você.

Essa foi certamente uma das leituras aguardadas por mim este ano. A Editora Arqueiro divulgou muito bem esse livro, deixando todos os leitores super ansiosos e contanto os minutos para conhecer de perto essa história. Quando recebi o livro, passei na frente de todos os outros que estavam na fila e em apenas dois dias, terminei a leitura.

Com uma narrativa densa, detalhada e muito atraente, conhecemos o dia a dia de uma personagem que sofreu traumas e que vê a vida passar diante de si, sem ter coragem de sair de casa e ser a mulher que foi um dia. Para  completar, sua sanidade é posta à prova e isso começa a dificultar ainda mais sua situação.

O autor soube criar uma atmosfera interessante e brincar com os sentidos e percepções do leitor. Por estarmos diante de uma personagem completamente instável, ficamos realmente oscilando entre a certeza de que ela está certa e a convicção de que tudo não passou de uma alucinação. Além disso, existem alguns flashback´s que nos ajudam a compreender a história

Apesar de ser uma história com poucas personagens, cada um deles é tão complexo que eleva o livro a um nível ímpar. Destaque especial para Anna, que é uma personagem que cresce muito ao longo da narrativa e que é impossível não se apegar a ela, tanto por conhecer sua história, quanto por acompanhar sua difícil rotina.

Prepare-se para embarcar uma montanha-russa de emoções! O desfecho foi ainda mais surpreendente. Confesso que cheguei as últimas páginas sem imaginar o rumo que essa história tomaria e não poderia encontrar uma forma melhor de finalizar essa história. Cercada de reviravoltas e surpresas, os leitores mais atentos irão perceber que a proposta do autor foge ao óbvio e se consagra como um dos melhores thrillers psicológicos do ano.

A edição da Editora Arqueiro está perfeita! A capa traz o principal elemento da história e as cores estão super atrativas. Também não encontrei erros.

Recomendo a leitura de A Mulher na Janela para todos os fãs de thrillers psicológicos e para todos aqueles que curtem leituras que nos prendem até a última página!

Gostaram?
Ficaram curiosos para conhecer essa história de perto?
Vocês acham que o que aconteceu foi real ou alucinação?
Comentem!

Abraços e até mais!

Um comentário

  1. Nunca li nada do genero, mas como vi algumas resenhas deste livro acho que vou começar por ele.
    O que me cativou é descobrir o que vai acontecer no rolar da historia, quem é a protagonista e o que viveu.
    Estou com muita curiosidade que pretendo ler o mais rápido kkk.
    Beijo, Jady

    Garota, Era uma vez
    http://garotaeraumavez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir