Resenha: Suicidas, de Raphael Montes


Resultado de imagem para suicidas raphael montes

SUICIDAS
Autor: Raphael Montes
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 430
Sinopse: Antes que o mundo pudesse sonhar com o terrível jogo da baleia azul, que leva jovens a tirar a própria vida, ou que a série de televisão Thirteen Reasons Why fosse lançada e se tornasse o sucesso que é hoje, Raphael Montes, então com 22 anos, já tratava do tema do suicídio entre jovens, com a ousadia que virou sua marca registrada. Em seu primeiro livro, que a Companhia das Letras agora relança acrescido de um novo capítulo, conhecemos a história de Alê e seus colegas, jovens da elite carioca encontrados mortos no porão do sítio de um deles em condições misteriosas que indicam que os nove amigos participaram de um perigoso e fatídico jogo de roleta russa. Aos que ficaram, resta tentar descobrir o que teria levado aqueles adolescentes, aparentemente felizes e privilegiados, a tirar a própria vida.


Olá, Leitores!!!!

     Acredito que essa seja minha primeira resenha desse ano. Muito tarde para dizer “Feliz ano novo?”
   Trago a vocês uma ficção policial de tirar o fôlego, que te deixará com o coração na mão do início ao fim.
      Vamos conhecer?


    Suicidas é uma ficção policial escrita pelo Raphael Montes, quando ele tinha dezenove anos. Nosso premiadíssimo escritor mostrou um talento incrível ao narrar histórias desse ramo e você se pegará preso através das páginas, por mais que algumas cenas sejam muito mais do que chocantes.

    A trama desse livro é bem pesada e estou me poupando nos detalhes para não soltar nenhum spoiler, por isso vou falar um pouco “por cima”, para não estragar a história. Nesse livro, você encontrará vários crimes horríveis que te deixarão em choque por um bom tempo. Fora isso, Raphael é muito crítico a respeito de muitas questões que ocorrem na sociedade brasileira, não poupando ninguém, e isso é genial.

     A história é passada através de três pontos de vista: a gravação do processo desse caso, os diários antigos do Alessandro, e o último diário dele. Com o passar das páginas, você vai conhecendo um pouco mais cada personagem e suas motivações para a ação final e o porquê de tudo ter ocorrido como ocorreu.

   Os personagens estudam todos na mesma faculdade, a UFRJ. O Alessandro faz Direito com o seu melhor amigo, o Zak, um playboy que nasceu em berço de ouro e tem tudo o que quer nas mãos, menos a presença dos pais. Estou me segurando para não falar demais, por isso, vou falar apenas desses dois personagens, e todos os outros, caberá a vocês, leitores, descobrirem. Através do dia a dia na vida desses dois, os outros personagens vão surgindo e é com isso que você descobre a personalidade de cada um e que tudo no fim se resume a aparências e aquilo que o dinheiro pode ou não comprar. Esses jovens que teriam tudo para serem bem sucedidos, se pegam presos em vícios e falta de perspectiva por pressão externa e interna de serem os melhores, mostrando em como o meio prejudica a formação desses jovens adultos.




    O mais chocante de tudo é ver que esses personagens são comuns na sociedade.

   Eu confesso que não consegui me envolver com nenhum dos personagens. Todos eles acabam mostrando um lado deles tão cru e desprezível que a única coisa que senti foi ranço, mas não consegui parar de ler, pois o mistério é envolvente demais. Raphael tem um dom incrível para contar histórias, passando por situações extremas e mostrando a crueldade humana até onde ela pode ir em nome de algumas motivações. É um livro de cenas muito fortes e impactantes, onde confesso terem me chocado e eu precisei parar um dia ou dois para continuar a ler, pois, o mais impactante é que, infelizmente, o ser humano é capaz de coisas assim. São cenas muito fortes que beiram a crueldade que o ser humano pode atingir, beirando o perverso e a loucura traduzidas em personagens. E isso choca muito. Tem uma cena que me deixou muito mal e eu fiquei: nossa, o mais horrível é que existe coisas na vida real assim.

    Esse é um dos motivos para que eu não tenha conseguido me apegar a nenhum dos personagens. Quando eu começava a gostar do personagem, a criatura ia lá e fazia uma coisa grotesca. No fim, criei desprezo por cada um deles e por tudo que fizeram até chegar onde há o resultado final.

     O final, para muitos, é bem surpreendente e te deixará ainda mais impactado. É uma obra que irá tirar o teu fôlego e você vai se ver preso em cada linha, tentando entender o que realmente aconteceu naquela noite, pois a curiosidade em cada página de deixa instigado a querer saber a verdade.
      É basicamente isso: a busca pela verdade do que ocorreu naquela noite.

    Se você não se sente bem com cenas muito fortes, não aconselho esse livro. Porém, se você é apaixonado pelos livros de ficção policial, Raphael Montes se tornará o seu queridinho.
      Eu digo isso porque esse rei lacrador da narrativa me conquistou e eu já estou sedenta pelas outras histórias que ele tem.

      Sei que não falei quase nada do livro, eu realmente não quero estragá-lo. E um simples detalhe que eu fale demais, pode estragar toda a narrativa, que se atém aos detalhes para surpreender o leitor e entregar uma trama envolvente.

      Minha mensagem final é: se você gosta de ficções policiais, esse livro é para você. Suas chances de amá-lo são bem altas. Porém, se você não curte muito ler sobre cenas fortes, aconselho cautela com esse livro.

       Espero que tenham gostado da resenha. Deixem seus comentários :D

Um cheiro :*,
Thyaly Diniz

Nenhum comentário