Resenha: Mulher-Maravilha - Sementes da Guerra, de Leigh Bardugo

MULHER-MARAVILHA - SEMENTES DA GUERRA
Autora: Leigh Bardugo
Editora: Arqueiro
Páginas: 400

Sinopse: Antes de se tornar a Mulher-Maravilha, ela era apenas Diana.
Filha da deusa Hipólita, Diana deseja apenas se provar entre suas irmãs guerreiras. Mas quando a oportunidade finalmente chega, ela joga fora sua chance de glória ao quebrar uma lei das amazonas e salvar Alia Keralis, uma simples mortal.
No entanto, Alia está longe de ser uma garota comum. Ela é uma semente da guerra, descendente da infame Helena de Troia, destinada a trazer uma era de derramamento de sangue e miséria. Agora cabe a Diana salvar todos e dar seu primeiro passo como a maior heroína que o mundo já conheceu.

Oi, oi gente! Tudo bem?
Aqui é o Daniel, trazendo mais uma resenha para vocês.
Dessa vez, os fãs de super-heróis vão pirar.
Espero que gostem!

~•~

Sementes da Guerra vai nos contar a história de Diana, a Mulher-Maravilha, antes de se tornar uma heroína, quando vivia com suas irmãs amazonas e sua mãe, a deusa Hipólita, na ilha de Temiscira. Na ilha, todas a consideram a menos forte das amazonas, fazendo com que Diana esteja em constante esforço para mostrar o contrário.

É então que, durante um torneio, Diana acaba se deparando com um naufrágio, e resolve abandonar a competição para salvar quem encontrasse vivo. Nesse momento, ela conhece Alia, a única sobrevivente do acidente, levando-a para Temiscira, atitude totalmente proibida para as amazonas. A jovem então se depara em uma difícil situação: Alia é uma semente da guerra, uma garota que leva o caos consigo por onde anda. A ilha começa a sofrer pela sua presença, e vice-versa. Diana, no entanto, decide agir.

A partir dessa premissa, a heroína mais girl power que você respeita decide partir em uma jornada cheia de perigos — principalmente porque muita gente não simpatiza com uma semente da guerra — e aventura, no melhor estilo Percy Jackson, com o objetivo de salvar Alia, Temiscira e, consequentemente, o mundo. Ela contará com a ajuda de Nim e Theo, amigos de sua protegida, e Jason, irmão da mesma.


Sementes da Guerra traz uma protagonista extremamente poderosa, mas humana, com suas incertezas e seus medos. Inclusive, os sentimentos de Diana foram um ponto que a autora conseguiu abordar muito bem, construindo uma personagem super cativante e querida. Na verdade, todos os personagens aqui são majestosamente bem escritos, com personalidades interessantíssimas.

A escrita de Bardugo é cativante. As cenas de ação, em especial, são de tirar o fôlego, dando à história o que mais esperamos nos filmes, livros e hqs de super-heróis: ação! A autora consegue te prender totalmente às suas palavras, já que em momento algum me senti disperso na leitura.

Além disso, como em todo bom enredo heroico, aqui temos uma trama cheia de valores, como a amizade, perseverança, superação, companheirismo etc. É um livro maravilhoso para todas as idades, passando lições valiosas e necessárias. Enfim, é uma leitura divertida e enriquecedora, mais gostosa impossível.


Ah, e sabe o que eu falei sobre parecer com Percy Jackson? Então, não é só pelo grupo de adolescentes que partem em uma aventura apaixonante, mas também pela presença forte da cultura grega na história. Se você curte mitologia, aí está mais um motivo para começar Sementes da Guerra agora mesmo.

Apesar de ser um livro que poderia muito bem virar um filme maravilhoso, Sementes da Guerra em nada tem a ver com a recente adaptação que tivemos da personagem para os cinemas. Inclusive, não me julguem, mas ainda não assisti Mulher-Maravilha, mesmo não me faltando vontade de fazê-lo — ainda mais após me divertir horrores com a história de Bardugo.

Resultado de imagem para dc's batman ya book
Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra faz parte da série de livros YA Lendas da DC. O próximo volume da série é protagonizado pelo Batman e escrito pela chinesa Marie Lu.

Mesmo não tendo assistido o filme de Diana, tenho muito carinho pela mesma, já que, como para a maioria de vocês — acredito eu —, ela fez parte da minha infância, e, principalmente para as mulheres, sempre se mostrou um exemplo de empoderamento e caráter.

Obrigado, Editora Arqueiro, pela oportunidade de conferir essa deliciosa obra!

~•~

E aí, pessoal, gostaram da resenha?
Qual a experiência de vocês com a Mulher-Maravilha?
Já leram o livro ou assistiram o filme?
Me contem tudo nos comentários.
Beijos!

2 comentários