Resenha: Três Coroas Negras, de Kendare Blake

Resultado de imagem para tres coroas negrasTRÊS COROAS NEGRAS
Autora: Kendare Blake
Editora: Globo Alt
Páginas: 304

Sinopse: Três herdeiras da coroa, cada uma com um poder mágico especial. Mirabella é uma elemental, capaz de produzir chamas e tempestades com um estalar de dedos. Katharine é uma envenenadora, com o poder de manipular os venenos mais mortais. E Arsinoe é uma naturalista, que tem a capacidade de fazer florescer a rosa mais vermelha e também controlar o mais feroz dos leões.
Mas para coroar-se rainha, não basta ter nascido na família real. Cada irmã deve lutar por esse posto, no que não é apenas um jogo de ganhar ou perder: é uma batalha de vida ou morte. Na noite em que completam dezesseis anos, a batalha começa.
Olá, pessoal!
Como vão as leituras? Estão lendo muitas coisas boas? Espero que sim.
Nesta postagem, lhes falarei um pouco sobre minha mais recente leitura fantástica, Três Coroas Negras, da autora Kendare Blake.
Vamos lá?

Resultado de imagem para tres coroas negras 

A história de Três Coroas Negras se passa em uma ilha fictícia, chamada Fennbirn. Lá, de tempos em tempos, uma nova geração de três jovens rainhas disputa entre si uma única coroa. Mas, para a coroa ser conquistada, apenas uma das três rainhas poderá sobreviver, com as outras duas tendo que morrer.

Nós iniciamos a leitura no aniversário de 16 anos de cada uma das atuais rainhas: Arsinoe, a rainha pertencente à classe dos naturalistas, pessoas capazes de controlar a fauna e a flora; Mirabella, capaz de dominar os quatro elementos — ou seja, uma elemental; e Katharine, uma jovem designada ao nascer como envenenadora, de forma que deveria manipular e ser imune aos mais mortais dos venenos. Elas estão há apenas quatro meses do Festival Beltane, um evento que dá início ao Ano da Ascensão, período onde as três devem batalhar até a morte.


A Rainha vencedora fica no poder até que seja a vontade da Deusa de Fennbirn que nasçam, de seu ventre, as candidatas a lhe substituirem. Após isso, a mãe das trigêmeas deixa o cargo, some com seu rei consorte para não se sabe onde, e entrega as filhas às mãos de uma parteira, uma mulher que cuidará das crianças até que completem 6 anos, idade em que passam a viver com as três mais poderosas casas da ilha, responsáveis por lhes treinarem e cuidarem de si.

Arsinoe se torna parte dos Milone, família de Wolf Spring, cidade conhecida por sua pesca e pelo grande número de naturalistas que concentra. É também o lar de Jules, uma jovem conhecida como a mais poderosa naturalista dos últimos 60 anos, nascida na mesma noite que as rainhas. Jules, assim como seus semelhantes, possui um Familiar, ou seja, um animal que encontra consigo uma forte conexão. Como prova de seu grande poder, o Familiar da garota é um puma, um animal muito forte. Diferentemente de sua irmã de criação e grande amiga, a dádiva — em outras palavras, o poder, o dom — de Arsinoe ainda não despertou, não se fez presente, apesar de ela ter sido designada como naturalista ao nascer, de forma que a jovem rainha não consegue fazer florescer nem mesmo o mais frágil botão de rosa, além de não possuir um Familiar.

O mesmo ocorre com Katharine, que, mesmo sendo  criada pelos Arron, a mais poderosa família de envenenadores da ilha, no poder há três gerações consecutivas, não mostra possuir dádiva alguma, vomitando qualquer tipo de veneno que ingere. Ela vive com seus parentes ilegítimos em Greavesdrake Manor, lar da família da última Rainha vencedora, um grande castelo próximo à capital da ilha, Indrid Down.

Essa falta de poder já não atinge Mirabella, a mais poderosa das três rainhas. Desde criança, ela consegue controlar e evocar o mais forte dos incêndios e a mais apavorante tempestade. Mirabella foi entregue quando criança aos Westwood, tradicional e religiosa família de elementais da cidade de Rolanth. Os mesmos se viram, nos últimos anos, influenciados pelo templo de sacerdotisas de Fennbirn, comandado pela severa e — aos olhos de Katharine — maternal Luca. A Alta Sacerdotisa, transtornada pelo poder que o Templo vem perdendo no Conselho — uma espécie de ministério de Fennbirn, devido ao ceticismo dos Arron, vê na poderosa jovem sua última chance de voltar ao controle da ilha.

Resultado de imagem para three dark crowns fanartResultado de imagem para three dark crowns fanartResultado de imagem para three dark crowns fanart
As três rainhas de Fennbirn. Imagem retirada do Pinterest 

As três rainhas possuem, apesar de trigêmeas, muitas diferenças, não só em relação às suas dádivas. Katherine, assim como suas irmãs, cresceu ouvindo que deve odiá-las e se preparar para matá-las sem piedade, transformando-se em uma rainha sem misericórdia. Arsinoe, sabendo da sua falta de poder e da desvantagem de sua família — mais humilde que os Westwood e os Arron —, cresce sabendo que, aos 16 anos, é a mais provável das três de morrer, e acaba se acostumando com isso. Já Mirabella, apesar de ser a mais poderosa, é a única das três que possui lembranças da infância com as irmãs, sentindo uma certa afeição por elas, mesmo estando as três sem se ver há 10 anos, e fazendo com que a tarefa de matá-las em um futuro próximo se torne seu pior pesadelo. E vão por mim: isso não agradará nem um pouco Luca.

É a partir dessa premissa interessantíssima que a história se desenvolverá. Um jogo político-religioso decorrerá da ganância do Templo em voltar ao poder e dos Arron em permanecer nele. E, se pensam que os Milone ficarão de fora dessa, podem tirar o cavalinho da chuva. Aqui, todos guardam muitos segredos e artimanhas.

As rainhas são três, mas o trono é apenas um.


Apesar de rivais, Mirabella, Arsinoe e Katharine cativam as três o leitor, principalmente por serem construídas com maestria. Kendare nos permite conhecer o que se passa dentro da cabeça de cada irmã; seus medos, suas paixões, enfim, seus modos de pensar. Na verdade, em Três Coroas Negras, os personagens, apesar de muitos, são todos muito bem articulados. Os nomes são meio difíceis, isso é um fato, mas, aos poucos, o leitor vai aprendendo (haha).

O romance, sim, está inserido na história, de forma bem evidente, porém, não ofusca a trama principal. Uma das coisas mais chatas do livro é um triângulo amoroso que se forma nele, a partir de certo ponto, que pode parecer, muitas vezes — muitas mesmo, desnecessário, mas tem lá sua importância em algumas passagens da trama. Acredito que, para o segundo o livro — sim, é uma série — , ele pode ter mais utilidade. De resto, todos os outros casais são aceitáveis.

Imagem relacionada
A continuação de Três Coroas Negras sai nos EUA em setembro deste ano (2017).

O livro me agradou bastante, e isso se deve muito ao girlpower inserido nele. Aqui, a Deusa e, secundariamente, a Rainha são quem comanda a ilha. O rei consorte serve apenas para formar alianças com O Continente, o território exterior à Fennbirn, onde os humanos sem magia vivem. É de lá que os reis vêm. Aliás, Kendare não abordou muito esse elemento da história no primeiro livro, deixando tudo muito misterioso, mas acredito que na continuação ela deverá dar mais destaque ao mesmo (já perceberam que muita coisa fica pro segunda livro, né?).

O que me irritou um pouco foi que, algumas vezes, o romance roubou um pouco desse empoderamento de algumas personagens femininas, incluindo as rainhas. Em certos momentos, elas me pareceram, de certa forma, passivas aos homens, mas acredito que isso foi o propósito da autora, que, com certeza, as deixará bem menos influenciáveis daqui pra frente, considerando alguns acontecimentos finais.


Falando no final, devo salientar que é ele quem faz a leitura valer a pena. Totalmente surpreendente, o desfecho de Três Coroas Negras deixa o leitor ansioso pelo desenrolar da trama, principalmente por suas revelações e, consequentemente, reviravoltas. Ele se dá logo quando se inicia o Ano da Ascensão, já citado no início da resenha, o que torna tudo ainda mais visceral.

Eu lendo o final do livro (hahaha).

A leitura de Três Coroas Negras é, de início, confusa. Caímos em Fennbirn sem paraquedas, com muitos nomes de cidades e personagens para decorar, e muitas tradições e lendas para conhecer. Aos poucos, vamos nos familiarizando com o mundo criado por Kendare e entendendo como tudo funciona nele. A escrita da autora ajuda bastante nesse caso, já que é completa e, ao mesmo tempo, simples e de fácil entendimento. Ficam algumas pontas soltas, claro, mas isso deixa tudo ainda mais emocionante e curioso.

Mesmo com muitos acontecimentos durante todo o livro, esse primeiro volume acaba servindo como uma introdução, uma preparação para as continuações, já que aqui conhecemos muito mais dos personagens do que da história em si. Além disso, Kendare descreve tudo em 3ª pessoa, e os capítulos vão alternando de foco, o que torna a narrativa ainda mais interessante. Se você curte diálogos e não se dá muito bem com detalhamentos de mais em Fantasias, essa leitura vai lhe cair como uma luva.

Acima de tudo, Três Coroas Negras mostra-se uma Fantasia original e corajosa, com uma troca de lugares há muito necessária no gênero. Aqui, são as mulheres quem dão as cartas, e vão por mim: elas não estão pra brincadeira.

Mapa de Fennbirn. Clique na imagem para ampliar

E aí, se interessaram pelo livro?

Curtem Fantasia?
Me contem tudo nos comentários.
Abraços e boas leituras!

16 comentários

  1. SOCORRO! quero mto esse livro! tá na minha wishlist há mto tempo, desde q foi publicado lá fora!

    adorei a resenha! *-*

    Abraços.
    Alex, do Um Bookaholic. <3

    umbookaholic.com | Canal | @umbookaholic: Twitter | Instagram

    ResponderExcluir
  2. Ola
    adorei poder conferir suas impressões a respeito desse livro. Eu também já fiz essa leitura e gostei muito do desenvolvimento e concordo com as suas impressões. Eu amo fantasia, então devo dizer que também achei os elementos muito originais sim. De fato, esse livro é um tanto introdutório, e não poderia estar na expectativa por mais..
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  3. Oi tudo bem?
    Já tinha visto esse livro por aí mas nunca parado para ler sobre ele, confesso que estou com vontade de ler esse livro mas por ser uma fantasia estou com um pé atrás e agora mesmo sabendo que é um tanto confuso estou com os dois hahaha.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde, gente!
    Fico feliz que vocês que leram curtiram o livro e os que não leram têm interesse em fazê-lo.
    Tais, pode se aventurar sem medo no universo criado pela autora. Aos poucos, você vai entendendo melhor os elementos que ela inseriu na história. Acredito que as pontas soltas serão solucionadas no próximo volume.
    Abs

    ResponderExcluir
  5. Oie! Tudo bem?

    Estou curiosa em relação a esse livro, mas como se trata de uma série, deixarei que lancem todos os livros e saiam todas as resenhas, para ver se vale realmente a pena realizar a leitura deles, por mais que eu ame esse tipo de história, tem alguma coisa que ainda não me conquistou completamente nela!

    Bjss

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    M-E-U D-E-U-S! EU PRECISO DESSE LIVRO!
    Amo livros com personagens femininas fortes e no poder.Além de ter muita luta por uma coroa.
    O tipo de livro que preciso ler e que vai me fazer endoidar.
    Amei a resenha e o livro.
    bjs

    ResponderExcluir
  7. Olá Daniel,
    Adoro fantasia e estou louca de curiosidade para ler esse livro. Fiquei muito contente por ter lido sua resenha e intrigada com a história, quero saber como ela se desenvolve. O que mais me agrada é que as três personagens encantam o leitor, gosto muito disso.
    Espero ter a oportunidade de ler esse primeiro volume e curtir.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Esse livro está na minha lista de desejados! Eu adoro essa questão de um pouco de distopia, que até me lembra um ponto Jogos Vorazes, misturada as questões do poder feminino, isso tudo é muito interessante! Eu entendo que você tenha se incomodado um pouco com a questão romântica da história, eu também ficaria, porque se ela se mostram tão fortes, porque no amor não podem ser também? Mas, ok! Quero muito ler esse livro!
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  9. Olá...
    Adorei sua resenha!
    Ainda não conhecia a obra, mas, adorei conhecer um pouco mais sobre a obra :)
    Gostei bastante da premissa, achei tudo tão interessante e o mais legal é que tem romance, mas, ele não ofusca as outras questões da história.
    Dica anotada!
    Bjo

    ResponderExcluir
  10. Olá!

    Eu adorei conferir sua resenha e suas impressões sobre esse livro, especialmente por estar morrendo de vontade de lê-lo. A trama me é interessantíssima, pois adoro uma boa fantasia e na verdade é meu gênero favorito. Mal posso esperar para eu mesma realizar essa leitura e descobrir o que acontecerá com essas três princesas. Obrigada pela dica!

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem?
    Vou te confessar que esse livro foi a minha maior decepção esse ano, até agora. Nada do que está na sinopse aparece no livro, a leitura é arrastada e achei as personagens insuportáveis.
    Concordo plenamente com você sobre o triângulo amoroso, que além de chato, ainda tornou as personagens fracas. Aliás, o ponto que discordo da sua resenha é justamente a questão do girlpower. Achei o empoderamento nesse livro totalmente falso, porque as três personagens principais não passam de marionetes a maior parte do livro.
    Já deu para perceber o quanto eu detestei o livro né? kkkk. Mas concordo que o final é realmente muito bom e, apesar das mil ressalvas que fiz, acabei ficando curiosa para ler o próximo.
    Adorei sua resenha e fico feliz que sua experiência com essa leitura tenha sido melhor do que a minha.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Oii!
    Estou ma-lu-ca pra ler esse livrooo!!
    Faz muito tempo que estou atrás dele mas ainda não tive a chance de ler. Achei toda a proposta da narrativa incrível!! Parece ser bem diferente dos outros livros que colocam hoje em dia no mercado. Também gostei bastante dessa questão de empoderamento, acho isso muito importante!
    Uma pena que vc tenha achado que isso foi desvalorizado pelos relacionamentos em alguns pontos, mas tenho que ler ele pra ver o que acho!
    Beijos!

    www.beyondbluedoors.com

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Ainda não conhecia a estória desse livro. Na verdade, é a primeira vez que estou lendo uma resenha dele.
    Confesso que gosto bastante de fantasia, mas a opinião de muitos blogs acabam mudando a minha opinião. E como você achou ele meio confuso, me deixou com um pé atrás.
    O tema da narrativa é mesmo incrível. Espero poder dar uma chance mais futuramente e mudar a minha opinião.

    ResponderExcluir
  14. Olá!!

    Primeiro quero dizer que a resenha está maravilhosa. Segundo, eu estava muito indecisa quanto a essa leitura, pois adorei a capa e existe muito divergencia quanto ao livro ser bom ou não. Levando em Consideração tudo que você mostrou nessa resenha ou pontos positivos e negativos, acho que vou me aventurar, esperando gostar da história e ignorar os pontos negativos.

    Beijos e Sucesso

    ResponderExcluir
  15. Eu acho essa capa maravilhosa e só não comprei esse livro ainda porque estou dando uma freada no meu espírito consumista! Hahahah
    Mesmo com suas ressalvas sobre o início ser confuso e sobre o romance se sobressair em certos momentos minha vontade de ler não diminuiu. Acho interessante essa premissa das irmãs terem que se matar e quero saber como isso será desenvolvido.

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Eu confesso que não costumo ler histórias sobre rainhas e afins, mas eu achei bem interessante a premissa dessa obra e a angústia de duas terem que morrer. Além disso, eu fiquei bem curiosa para conhecer as trigêmeas, pois parecem ser bem construídas e adorei o girlpower. Enfim, gostei da dica de leitura, vou marcar.

    Beijos :*

    ResponderExcluir