Resenha: Quinze Dias, de Vitor Martins

Resultado de imagem para quinze dias vitor martinsQUINZE DIAS
Autor: Vitor Martins
Editora: Globo Alt
Páginas: 304

Sinopse: Felipe está esperando por esse momento desde que as aulas começaram: o início das férias de julho. Finalmente ele vai poder passar alguns dias longe da escola e dos colegas que o maltratam. Os planos envolvem se afundar nos episódios atrasados de suas séries favoritas, colocar a leitura em dia e aprender com tutoriais no YouTube coisas novas que ele nunca vai colocar em prática.
Mas as coisas fogem um pouco do controle quando a mãe de Felipe informa que concordou em hospedar Caio, o vizinho do 57, por longos quinze dias, enquanto os pais dele estão viajando. Felipe entra em desespero porque a) Caio foi sua primeira paixãozinha na infância (e existe uma grande possibilidade dessa paixão não ter passado até hoje) e b) Felipe coleciona uma lista infinita de inseguranças e não tem a menor ideia de como interagir com o vizinho.
Os dias que prometiam paz, tranquilidade e maratonas épicas de Netflix acabam trazendo um turbilhão de sentimentos, que obrigarão Felipe a mergulhar em todas as questões mal resolvidas que ele tem consigo mesmo.
Olá, leitores que eu tanto amo!
Estão aproveitando o dia? Lendo muito?
Eu já aproveitei bastante o meu finalizando Quinze Dias, esse livro tão lindo e sensível.
Hoje, falarei um pouquinho dele para vocês.
Vamos lá?

Resultado de imagem para quinze dias vitor martins

Em Quinze Dias, conhecemos Felipe, um garoto gordo e gay que, por não se encaixar nos padrões sociais, sofre preconceitos diariamente, tanto na escola quanto fora dela. Tais preconceitos acabaram transformando Felipe em um jovem isolado, antissocial, que não aceita o próprio corpo e não confia nos outros.

Ansioso pelas férias, único momento durante o ano em que pode se livrar por um tempo dos valentões que praticam bullying consigo, Felipe acaba tendo seus planos de passar seu mês de descanso inteiro assistindo musicais e reality shows com sua mãe, maratonando séries na Netflix e lendo gibis e livros estragados por Caio, seu ex-amigo de infância e crush de condomínio, que é deixado pelos pais na casa dos vizinhos por quinze dias, enquanto fazem uma viagem pelo Chile.


Caio tem o corpo — segundo a sociedade — perfeito, é magro e sarado, mas isso só serve para esconder o preconceito que sofre diariamente em casa e no colégio por ser homossexual, assim como seu vizinho. Ele encontra, desde o primeiro dia como hóspede no apê de Felipe, na moderna e amorosa Rita, um porto seguro, um tipo de mãe que ele nunca teve, que se preocupa com o filho, mas, ao mesmo tempo, o compreende e o aceita.

Quando crianças, Caio e Felipe eram amigos de piscina, adoravam nadar juntos e se divertiam fingindo serem sereias, porém, essa amizade acabou quando Felipe começou a crescer e ter medo do que os outros iriam falar/pensar do seu corpo, graças ao preconceito que começou ao sofrer. Assim, os dois acabaram se afastando, até o dia em que foram obrigados a se reaproximar.

Inicialmente, eles não se dão muito bem, por conta de algumas situações constrangedoras e, principalmente, pela timidez e autodepreciação de Felipe, adquirida após anos de opressão. Aos poucos, os dois vão descobrindo, um no outro, um confidente, alguém para desabafar e, inesperadamente, para amar. Caio ajudará Felipe, também aos poucos, a se sentir melhor, a se aceitar e a não deixar que lhe tirem esses seus direitos, e vice-versa.


Para começar a falar dos personagens, devo destacar que o casal principal consegue cativar o leitor sem esforço algum. Sem parecer forçado, o romance de Caio e Felipe vai crescendo aos poucos, não é algo instantâneo, superficial. Você torce a todo momento para que os dois se casem e tenham uma penca de filhos e gatos logo, mas os dois demoram bastante até se acertarem — mesmo assim, em momento agum deixam de ser fofos. Ambos são super tímidos, o que os deixa ainda mais apaixonantes e cativantes.

É  o próprio Felipe quem narra a história, fato esse que torna tudo ainda melhor. A todo instante, eu me vi suspirando e dando umas gargalhadas com a forma que ele descreve o crush. Sério, dá vontade de entrar na história e abraçar os dois sem parar.

E se estão achando que só eles dois são apaixonantes, podem tirar o cavalinho da chuva. A mãe de Felipe, Rita, como já havia citado acima, ama o filho e o aceita do jeitinho que ele é, sem tirar nem por. Ela é tão divertida e fofa quanto os mais jovens, podem acreditar em mim.

Já Rebecca, amiga de infância de Caio e sua única confidente antes de Felipe entrar em sua vida, é outra personagem incrível. Gorda, negra e lésbica, Rebeca não leva desaforo pra casa. Ela é de grande ajuda para que o casal dê certo, assim como sua namorada, Melissa, uma menina magérrima — sério, magra de doer (me reconheci nela) — que, da mesma forma que Felipe, também não aceita muito bem seu corpo. Eu achei a Melissa, em especial, genial, pois, através dela, o Vitor mostra que aceitar a si mesmo pode ser difícil para qualquer tipo de pessoa.


Quinze Dias vai tratar de auto-aceitação e preconceito de uma maneira muito sensível e natural. Ao longo da leitura, vamos percebendo o quanto julgamos os outros de forma errônea sem nem mesmo percebermos, o quanto podemos ser tóxicos com os outros facilmente, simplesmente por conta de sua aparência.

Por falar nisso, ao finalizar a leitura de Quinze Dias, é impossível não se dar conta de que a verdadeira beleza é a interior. É para ela que devemos olhar em uma pessoa, pois o exterior, muitas vezes, não reflete o que há dentro dos outros. Além de que é muito melhor sermos diferentes e especiais do que sermos todos iguais e sem graça, não?

Muitas cenas são fortes, e, infelizmente, reais. Não posso dizer que chorei em alguma delas, pois a narrativa e a escrita do autor são tão gostosas que, um segundo depois, você já está rindo com as sacadas do Felipe novamente. Mas acredito que essa tenha sido a intenção do Vitor; escrever uma história cheia de tapas na cara, mas, ao mesmo tempo, deliciosa e feliz, sobre como o amor pode superar isso tudo, com um final que só reforça essa questão. Ainda sobre o final, devo salientar que, mesmo ficando em aberto, o desfecho da história é maravilhoso, nos dando uma sensação de que há esperança para a intolerância.


Com certeza, essa leitura me proporcionou ótimos momentos e me passou muitas lições. Quinze Dias foi de grande ajuda para que eu comece a me aceitar melhor, já que, assim como Felipe e Melissa, não o faço muito bem. Também foi aqui que percebi o quanto eu, assim como muitos de vocês, posso ser preconceituoso facilmente, e que devo me esforçar para mudar essa situação. Além disso, também aprendemos que não podemos abaixar a cabeça quando nos oprimirem, pois, com toda certeza, somos muito mais fortes que esse tipo de gente.

Bem, se comigo, que não sofro tanto preconceito na questão do corpo — apesar de, muitas vezes, não me sentir bem nele —, esse livro lindo significou tanto, imaginem para quem se reconhece 100% nos dramas dos personagens. Mesmo que você não seja uma dessas pessoas, pare tudo o que está fazendo e vá conhecer Felipe e Caio agora mesmo.

Sintetizando, eu amei, favoritei e guardei o livro num potinho. Cheio de referências POP, divertido, fofo e sensível, Quinze Dias é o tipo de livro indispensável na vida de qualquer um, marcante e necessário. Acredito que, de agora em diante, amarei eternamente O Senhor dos Anéis, biscoitinhos da sorte, boias de flamingo, super-heróis, sereias, pijamas e, obviamente, piscinas.

P.S.: Vitor, se você estiver lendo essa resenha, é bom saber que eu quero uma continuação pra já, ou alguém vai amanhecer nos sites e jornais policiais  eu vou te xingar muito no Twitter! Brincadeira, hahaha — ou não.


Playlist — por sinal, maravilhosa — do livro, criada pelo autor. ♥ 


E aí curtiram a resenha?
Querem ler o livro?
Já leram?
Me contem tudo.
Abraços.

16 comentários

  1. Vitor é um amor de pessoa, sou LOUCO pra ler 15 Dias! Amei a resenha, ficou muito completinha! *-*

    Abraços.
    Alex, do Um Bookaholic. <3

    umbookaholic.com | Canal | @umbookaholic: Twitter | Instagram

    ResponderExcluir
  2. Amei a resenha :D

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi tudo bem?
    Confesso que estou louca para ler esse livro desde que lançou mas não tinha lido nada sobre ele sua resenha apenas reforçou essa vontade. Gosto bastante de livros com uma pegada mais real e fora que essa capa é uma fofura.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ola
    Eu também já fiz essa leitura e gostei muito da trama, de sua leveza e da forma como as interações foram desenvolvidas. Acredito que é um livro ainda mais especial para quem se identifca mais mesmo. De qualquer maneira, é uma leitura que eu recomendo muito, e claro que eu adorei poder conferir as suas impressões a respeito.
    Beijos,F

    ResponderExcluir
  5. Oie! Tudo bem?

    Já li outras resenhas sobre esse livro e achei a proposta dele muito boa, mas não faz meu estilo de leitura, entretanto vou indicar para a minha amiga essa sim ama esse tipo de história e amará com certeza essa também!

    Bjss

    ResponderExcluir
  6. Olá Daniel,
    Ainda não li esse livro, mas preciso. Adoro o conteúdo que o Vitor produz e estou mega curiosa para saber como as coisas acontecem, apesar de prever. O personagem principal parece ter um jeito de ver um mundo bastante peculiar e gostaria de vê-lo pelos olhos dele. Sua resenha está incrível e essa trilha sonora me conquistou.
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Não conhecia esse livro mas agora quero muito conhecer.Quero ler algo que mude minha visão ,meus questionamentos e o preconceito que ainda mora dentro de mim.
    Um livro com vários tapas na cara para fazer mudar as pessoas.
    Adorei
    E que playlist maravilhosa <3
    bjs

    ResponderExcluir
  8. Olá....
    Adorei sua resenha!
    Tenho muita vontade de ler esse livro, mas, infelizmente, ainda não tive oportunidade :(
    Gostei de saber que o livro fala sobre auto-aceitação e preconceito de uma maneira muito sensível e natural, e tenho certeza que irei amar a leitura.
    Dica anotada!
    Bjo

    ResponderExcluir
  9. Olá!

    Eu já vi esse livro por aí, mas não me lembro se já li alguma resenha dele. Na verdade, eu nem sei se já tinha lido a sinopse dele. E graças a essa minha ignorância, estou agora bastante surpresa com a trama e com a proposta deste livro. Fiquei bem curiosa a respeito das situações que o protagonista passa e estou com vontade de conferir tudo isso de perto. Adorei sua resenha e super obrigada pela dica!

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Tem uns dias que eu estou vendo esse livro rodando pelas redes sociais, mas eu não tinha parado para saber mais ainda, sua resenha foi a primeira que li da história e devo dizer que estou encantada. Eu amo livros desse tipo, porque trás grandes reflexões para quem se identifica com os personagens. Eu já sofri preconceitos, por está acima do "peso ideal", mas ainda bem que sempre me dei bem com isso, não pirei, nem entrei na pilha dos que ao meu ver, são mal amados. Amei esse livro, já vai para a lista!
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem?
    Estou super ansiosa para ler esse livro. Já acompanho o canal do Vitor há algum tempo e quero muito ver como ele se saiu como autor.
    Por tudo que você falou, acho que não vou me decepcionar. Só pela sua resenha, já fui cativada pelos personagens. Eles parecem ser realmente muito fofos, daqueles que a gente guarda para sempre no coração. Além disso, achei muito legal ele trazer esses momentos que são um tapa na cara do leitor, mas manter a escrita leve e gostosa.
    Adorei sua resenha e estou com uma expectativa ainda mais alta para ler o livro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Olha, eu conhecia o autor e tinha visto o livro mas ainda não tinha lido uma resenha dele!
    A proposta toda do livro parece incrível mesmo! Acho importantíssimo falar sobre esses temas, bullying, peso ideal, corpo ideal e homossexuais! Muito além, acho muito importante MESMO que seja um autor nacional em quem as pessoas confiam e já conhecem e que tem um alcance muito bom! Gosto muito de livros com esses tópicos e ideais e acho que vou gostar bastante dessa leitura! :)
    Beijos!

    www.beyondbluedoors.com

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Curti bastante a resenha desse livro. Ainda não o conhecia e adorei o fato dele tratar bastante sobre o preconceito. Um tema que está sempre presente no nosso dia a dia.
    Os personagens me pareceram ser bem cativantes. E o melhor: de um autor nacional.
    Ótima recomendação. Essa está mais do que anotada. E espero que tenha a tão "sonhada" continuação.

    ResponderExcluir
  14. Olá!

    Primeiro que resenha maravilhosa, segundo preciso ler esse livro. Quero dizer que a personagem Melissa foi o que me convenceu, eu sempre achei representatividade importante e apoio muito, mas nunca tinha parado para perceber que eu não me via nos livros, agora quando você citou que Melissa é magra de doer (rs) percebi que eu sou assim, mesmo sendo hétero e branca , tenho minhas neuras com o corpo e é achei ótimo isso também ser apresentado nesse livro, já anotei na lista de compras, pois acho muito necessário, além de entender a dor do outro precisamos entender e aceitar a nossa própria dor e dificuldade sempre lembrando que ninguém é melhor que outro. Já falei muito, só quero deixar meu obrigado por você ter apresentado essa maravilha.

    beijos e sucesso!!

    ResponderExcluir
  15. Oi, Dan

    Sua resenha ficou tão cheia de amor que é impossível não sentir pelo menos um pouquinho de interesse pela história. Eu, por exemplo, achei a trama juvenil demais pro meu gosto, mas acho a abordagem válida ainda mais porque ela toca em assuntos delicados.
    Adorei saber que a Rita aceita o filho do jeitinho que ele é... isso é inspirador! E eu nunca li nenhuma trama LGBT, esse poderia ser um começo, não é mesmo?

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Eu já vi esse livro por ai e desde que li a primeira resenha sobre ele fiquei curiosa, pois parece ser uma obra muito sensível mesmo. Os personagens parecem ser super cativantes mesmo e gostei de saber que o romance não é forçado, sem contar que esse livro aborda ótimos temas. Enfim, gostei bastante da sua resenha e espero um dia ler essa obra.

    Beijos :*

    ResponderExcluir