Resenha: Apenas um garoto, de Bill Konigsberg

APENAS UM GAROTO
Autor: Bill Konigsberg
Editora: Arqueiro
Páginas: 256
Skoob

Sinopse:  Rafe saiu do armário aos 13 anos e nunca sofreu bullying. Mas está cansado de ser rotulado como o garoto gay, o porta-voz de uma causa. Por isso ele decide entrar numa escola só para meninos em outro estado e manter sua orientação sexual em segredo: não com o objetivo de voltar para o armário e sim para nascer de novo, como uma folha em branco. O plano funciona no início, e ele chega até a fazer parte do grupo dos atletas e do time de futebol. Mas as coisas se complicam quando ele percebe que está se apaixonando por um de seus novos amigos héteros.



Olá Leitores!
Trago para vocês a resenha de um livro adorável!
Um desses livros que dá vontade de sair por aí pedindo para todo mundo ler.
Vamos conhecê-lo?

Apenas um garoto, de Bill Konigsberg nos conta a história de Rafe, um jovem que desde os 13 anos decidiu assumir que era gay e por isso sempre foi respeitado por seus colegas. Entretanto, ele ficou conhecido como o garoto gay, aquele que representa os mesmos em sua orientação sexual e tal fato o deixava chateado.

Por isso, ele decide tomar uma atitude radical e mudar de cidade, indo para uma escola apenas de garotos, a Natick. A ideia era manter em segredo sua orientação sexual e começar de novo.

Rafe logo se enturma, começa a jogar no time de futebol da escola, entra em qualquer ambiente sem que comentários sejam feitos, inclusive no vestiário masculino, conquista grandes amigos e se torna uma pessoa querida por todos. Pela primeira vez ele sente que as coisas parecem certas. Que as pessoas o enxergam além de um simples rótulo.

Tudo parecia perfeito até que o inesperado aconteceu: Rafe se apaixona por seu melhor amigo. Poderia não ser um problema se o garoto também fosse gay, mas ele é hétero.

Quando Rafe começa a pensar sobre suas escolhas e seu novo modo de viver, veremos que nem sempre é fácil ser quem é, mas nada nos parece tão certo.


Valioso.
Apenas um garoto é um livro que fará você enxergar além da superfície.

Gosto de ler livros com temáticas LGBT, pois acredito que precisamos de cada vez mais contato e informações para diminuir o preconceito. Principalmente os livros Young Adult, cujo público alvo são adolescentes, que muitas vezes estão passando por um processo de autoaceitação.

Rafe é um personagem único e que amadurece absurdamente ao longo da história. Apesar de ter se assumido gay cedo, ele passou por outros tipos de julgamentos e isso o marcou e conduziu a atitude drástica de tentar se "esconder". Se essa foi a atitude certa? Apenas com o desenrolar da história saberemos.

Além disso, é um personagem bastante "real". Digo isso porque pude identificar muitos amigos meus em atitudes e questionamentos de Rafe. E acho que esse é um dos pontos mais interessantes na obra, quando o autor tenta mostrar aos seus leitores que uma pessoa muito próxima pode sentir o que Rafe sente ao ser rotulado.

Adianto que Apenas um garoto é uma verdadeira montanha-russa de emoções. Muitas vezes dei risada, em outras fiquei com lágrimas nos olhos. Vi muita ironia, humor ácido, mas também muito amor e empatia. Além disso, temas como preconceito e aceitação são fortemente discutidos, de formas diferentes.

O desfecho não foi exatamente o que eu esperava, mas com certeza compreendi. Só posso desejar que esse livro desperte seu interesse e que você realmente possa conhecer Rafe, pois será uma verdadeira porta para conhecer um pouco mais de si mesmo, suas ações e escolhas.

Recomendo o livro para todos que gostam de YA, gostem de histórias cativantes, provocantes e principalmente para aqueles que buscam conhecer a si mesmo e como interagir com o mundo ao ser redor. Afinal, cada um sabe a dor e a delícia de ser quem se é.

Gostaram do livro?
Ficaram curiosos para conhecer mais sobre Rafe?
Já leram?
Comentem!

Abraços e até mais.

Nenhum comentário