• Home
  • Dicaterapia
  • Parceiros
  • Resenhas
  • Políticas
  • Contato
  • Resenha: Não quero ser lembrado, de Lucas Rezende


    NÃO QUERO SER LEMBRADO
    Autor: Lucas Rezende
    Editora: Empíreo
    Páginas: 192
    Sinopse: Essa não é uma história de amor com final trágico.
    Essa não é nem mesmo a história de um casal.
    É a história de um homem banal, sem ambições e com uma vida medíocre. Ao olhar no espelho ele via um ingrato e incapaz, mas ainda criança descobriu que nem sempre precisava ser assim. Às vezes ele também podia estar no controle, ser forte e temido.
    Essa é a história de Bernardo.
    Em seu romance de estreia, Lucas Rezende conta a história de Bernardo, um homem de meia-idade em um casamento enfadonho, um emprego medíocre e uma vida de frustrações que lhe levaram até o momento em que a história se inicia: o dia em que assassina a esposa com as próprias mãos.
    Olá Leitores
    Trago para vocês a resenha de um dos livros mais diferentes que li em 2016.
    Poderia dizer que é quase a biografia de um personagem. 
    Vamos conhecer um pouco mais de Bernardo?

    Não quero ser lembrado, de Lucas Rezende, nos conta a história de Bernardo, um homem sem muitas expectativas, que vive dia após dia sem emoção alguma. Ele acabou de perder a esposa, Patrícia e aquilo o faz lembrar do início de tudo.

    Conhecemos os dias de Lucas antes de Patrícia, a forma como se conheceram, o início do relacionamento e a rotina do casal.  A infância difícil de Bernardo e uma adolescência mal vivida moldaram a personalidade do jovem homem, que é movido por sentimentos não muito convencionais e faz escolhas geralmente condenáveis.

    Bernardo gosta de se isolar e sua pouca "diversão" é ir até a locadora de filmes. É lá que ele encontra Patrícia. Ele sente uma atração inexplicável e ao conhecê-la, existe uma identificação. Com a convivência, ela consegue mudar Bernardo um pouco e fazê-lo se abrir e contar alguns fatos marcantes. Patrícia é o oposto de Bernardo. Sociável, trabalhadora,  divertida, uma jovem que gosta de viver, e bem.

    Pessoas diferentes, com objetivos e passado desiguais não são exatamente a melhor combinação na vida de um jovem casal. E quando alguns acontecimentos abalam Bernardo, veremos de perto o que habita dentro de Bernardo.


    Cru e intenso.
    Não quero ser lembrado é um livro difícil de esquecer.

    Lucas Rezende criou uma história de um homem perturbado e cheio de manias e defeitos. Como muitos de nós. E esse foco intenso da construção da personalidade de Bernardo é o que norteia a narrativa.

    Por falar em narrativa, ela cativa pela riqueza de detalhes e um tom de suspense sem igual. Uma verdadeira montanha-russa de emoções, pois nunca sabemos exatamente o que iremos encontrar ou onde as atitudes das personagens irão nos levar. Os capítulos são marcados por datas e temos aqui uma narrativa não linear, mas em momento algum nos confundimos com os fatos.

    A escrita de Rezende é impecável. Cru, sarcástico, perspicaz o autor vai tecendo a história ao mesmo tempo que nos insere em uma narrativa que nos consome aos poucos. Quem curte uma narrativa mais direta certamente não terá paciência de encarar este livro, mas aqueles que gostam de um suspense de forte cunho psicológico, irá ter um belo exemplar em mãos.

    O desfecho foi genial. Difícil descrever muito sem estragar a história, mas acredito que a trama foi muito bem elaborada e desenvolvida até o fim. Muitos temas foram abordados ao longos das páginas, mas o que senti é o sempre presente questionamento acerca de como é formada a personalidade de alguém. São suas escolhas, suas vivências, uma pouco de cada?

    Não quero ser lembrado é um livro para ser degustado, apreciado e refletido. Posso afirmar que foi uma experiência fantástica e sendo este o livro de estreia do autor, não duvido do quão longe ele vai.

    Leitura mais que recomendada!

    Gostaram?
    Conheciam o livro?
    Ficaram curiosos?
    Comentem!

    Abraços e até mais

    1 comentários :

    1. Oi Rizia, tudo bem ?
      Fiquei bem interessada na história, gosto de finais surpreendentes sabe ?! Hoje em dia anda tudo tão normal, que é bom quando acontece o contrário.
      Adoro sarcasmo, anotei a dica, quem sabe futuramente.
      Beijos
      www.estilo-gisele.blogspot.com.br

      ResponderExcluir