• Home
  • Dicaterapia
  • Parceiros
  • Resenhas
  • Políticas
  • Contato
  • Uma música, uma guerra, dois corações e Toda luz que não podemos ver.


    Olá Leitores

    Há um tempo atrás publiquei a resenha deste livro e confesso que foi um dos melhores livros que li esse ano. Esse é um post diferente, pois quero chamar atenção para um aspecto único da narrativa.

    Falando rapidamente, Toda luz que não podemos ver term como plano de fundo a Segunda Guerra Mundial, e conhecemos Marie-Laurie e Werner Pfennig, dois jovens com vivências diferentes da situação em que estão inserido. Ela é uma jovem cega e ele um órfão inventor.

    A narrativa é muito bem elaborada, mas sem palavras rebuscadas. Contudo requer a atenção do leitor, pois os micro capítulos passeiam entre o passado e o presente e estão cheios de informações cruciais.

    Aos amantes desse tipo de narrativa com um fundo histórico, Toda luz que não podemos ver é um livro indispensável e obrigatório. Tenha certeza de que você nem sentirá que já leu 500 e tantas páginas. (Leia a resenha completa aqui).

    Mas algo crucial neste livro foi a música.
    Sim leitores, uma música mudou todo o rumo da história.
    Eis a música:

     

    Coloquei especialmente para tocar automaticamente para que vocês tenham o prazer de desfrutar essa melodia.

    "Abram os olhos e vejam o máximo que puderem antes que se fechem para sempre".

    Werner Pfennig ouvia Clair de lune, de Debussy, sem conhecer, no orfanato que crescera junto com a sua irmã. Ele havia concertado um velho rádio e todas as noites, em meio a guerra, ouvia a melodia sem saber quem transmitia.
    Marie-Laurie escutava a canção na casa do seu tio, anos mais tarde, no auge da guerra.

    Vale ressaltar que o rádio era o principal meio de comunicação durante e guerra e os nazistas estavam sempre mapeando, descobrindo e destruindo a maior quantidade possível de aparelhos. E curiosamente é ele que, em determinado momento, cruza esses dois corações para que se  encontrem por meio do clarão da lua.

    Toda luz que não podemos ver é um romance diferente de tudo o que você está acostumado a ler. Mesmo livros de guerra como A menina que roubava livros. Aqui encontramos algo mais profundo que o leitor só conseguirá capturar se conseguir mergulhar na história.


    Andei pesquisando e descobrir que o Prêmio Pulitzer é um reconhecimento dado a pessoas que realizem trabalhos de excelência. Posso afirmar que foi um prêmio mais do que merecido, pois Anthony Doerr conseguir nos mostrar tudo a luz que não pudemos ver não só como um paralelo a cegueira de Marie-Laurie ou como as incertezas de Wener, mas sim como o autor fez questão de trazer a tona, de forma única, todo o sofrimento, privações, perdas e tudo o que ocorre numa guerra, onde os inocentes é que pagam a maior parte. 

    Toda luz que não podemos ver é um livro impossível de largar. Nos leva a refletir sobre a existência e a fungibilidade das coisas. Ao final da leitura, ficamos imaginando o que terá acontecido com as pessoas daquele livro e as pessoas que realmente estiveram na guerra. 

    Mais uma vez, tenho o prazer de recomendar essa obra tão especial e encantadora.

    O que vocês acharam?
    Gostaram do livro?
    Ficaram curiosos?
    Comentem =)

    37 comentários :

    1. Oii Rizia, faz um bom tempo que venho querendo ler esse livro, gostei da musica e da sua resenha, esses livros que se passam em meio a guerras sempre mexe comigo, e pelo que vc descreveu o livro parece ser muito bom! Vou ler! Beijinhos...

      https://amanhecerliterario.wordpress.com

      ResponderExcluir
    2. gostei muito da tua resenha, com certeza é um livro bem emocionante e delicado, fiquei com muita vontade de ler pois aborda um tema bem interessante e curioso.
      achei linda demais a musica de fundo o que só me deixou mais com vontade de ler.

      ResponderExcluir
    3. Olá!
      Gostei demais dessa dica.
      Quando eu vi que a menina é cega e o pano de fundo desse romance é a segunda guerra mundial fiquei doida aqui para ler. Gosto de mergulhar na história então dica mais que anotada
      http://malucaspor-romances.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
    4. Rizia, há muitos meses estou desejando Toda a luz que não podemos ver, o que mais agrada-me no livro é o seu cenário passado na Segunda Guerra Mundial. Quando tiver a primeira oportunidade de lê-lo, o farei acompanhado desta bela música.

      ResponderExcluir
    5. ai q gracinha! já adorei o livro no primeiro parágro da resenha.
      adoro músicas clássicas, especialmente em pianos!! já ouviu birdy? um exemplo de músicas assim, ela é maravilhosa.
      o tema do livro chamou bastante minha atenção pela sua simplicidade. já quero muito ler!!

      beijo

      ResponderExcluir
    6. Olá, Rizia.
      Não sei porque não consegui abrir a musica aqui. Esses dias li uma resenha desse livro, que não conhecia por sinal e me interessei muito por ele. Adoro livros que se passam na guerra. Meu pai ouve rádio até hoje hehe. ele fala que é muito melhor. E olha que ele tem um daqueles modelos antigos hehe.

      Blog Prefácio

      ResponderExcluir
    7. Risia.
      Você conseguiu tornar o livro ainda mais especial para mim depois que eu pude ouvir a música.
      Sério. Agora eu fiquei imaginando aquelas cenas. Werner no meio da noite ouvindo essa música, aquele homem falando distante pelo rádio.
      Nossa, você me fez ficar imaginando um filme desse livro. E olha que eu não gosto nada de músicas clássicas, mas essa foi muito, muito especial mesmo.
      Eu sempre digo que amei esse livro principalmente pelo modo como o autor conduziu a história da cegueira, pois eu sou cega também e sempre me sinto até ofendida quando autores escrevem personagens cegas como meninas dependentes, meio desprovidas de inteligência, alguém digno de pena, e Antony soube descrever a dor e a perda dela as vezes de uma forma linda. Me senti identificada com aqueles livros em braille que ela lia.
      E gostei da sua explicação sobre o pulitzer, com certeza o livro dele o merece, mais que nunca.
      Amei esse trecho que você destacou: "Abram os olhos e vejam o máximo que puderem antes que se fechem para sempre". eu não lembrava dele.
      O comentário ficou meio enorme mas acabei me distraindo e escrevendo enquanto ouvia essa música.

      ResponderExcluir
    8. Ainda não conhecia o livro nossa, parece bem impactante, envolvente.
      É daqueles livros viciantes por acaso?
      Gostei da dica parabéns pela resenha!

      ResponderExcluir
    9. Uma das minhas colaboradoras leu esse livro e gostou bastante.
      Já vi também alguns video resenha e falaram maravilhas desse livro, mas eu não sei se eu pegaria para ler esse livro no momento. O único que li falando de guerra foi aquele Soldier da Novo Conceito e já achei bem triste, imagina esse, deve ser ainda mais forte. Mas mesmo assim eu tenho o livro aqui e vou querer ler assim que puder com toda certeza. Espero gostar, porque o que me chamou mais atenção nesse livro foi a menina cega. Por isso tive a curiosidade. Nem a menina que roubava livros eu li para vc ter uma ideia. Eu só vi o filme e gostei, mas enfim...vamos ver...

      http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/10/especial-conhecendo-os-autores-6.html

      ResponderExcluir
    10. Parece que por mais que já se tenha falado sobre a guerra, sempre encontramos uma narrativa que nos surpreende outra vez. Imaginei a menina no orfanato,, ouvindo a música... As teclas do piano, descendo e subindo, a melodia se formando e a vida seguindo. A musica me convenceu a ler!!!
      meuamorpeloslivros.blogspot.com.br
      beijos

      ResponderExcluir
    11. Acho essa música tão linda!! Gostei de saber da importância dela na história. O livro me interessa muito, amo histórias que se passam no período da Segunda Guerra e já ouvi falar que a proposta dele é mesmo diferente. Espero que eu mergulhe de verdade na história quando tiver a oportunidade de conhecê-la.

      Beijo.

      Ju
      Entre Palcos e Livros

      ResponderExcluir
    12. Gosto muito de histórias que se desenrolam durante as guerras, além do contexto histórico que me agrada, acho que tudo tem uma carga emocional muito grande, e ai junta o útil ao agradável e sempre me apaixono pelos personagens e suas lutas sejam personagens vilões ou mocinhos, esse livro já esta na minha lista há um bom tempo só não li ainda por falta de tempo $.

      www.poyozodance.blogspot.com.br

      ResponderExcluir
    13. Nossa... Adorei! Já estou de olho nesse livro faz tempo, mas ainda não li. Acredito que há certos livros que precisamos estar no humor certo para lê-lo e aprecia-lo como ele merece. Então por enquanto ele está na lista esperando o dia certo para ser devorado.
      *Amo Debussy!

      Bjos

      Every Little Book

      ResponderExcluir
    14. Oiee ^^
      Li uma resenha desse livro ontem, e me apaixonei completamente pela história ♥ Já o tinha visto antes, mas nunca parei para ler a sinopse. Amo livros que se passam durante a Segunda Guerra, e mais ainda os que nos fazem refletir e nos surpreendem. Quero para ontem!
      MilkMilks
      http://shakedepalavras.blogspot.com.br

      ResponderExcluir
    15. Oi, Rizia!

      Gostei demais de sua resenha e do modo como você detalhou a diferença deste livro.
      Parabéns! Com certeza irei ler esta obra literária!

      Beijos!
      Participe da TAG Livros e Travessuras do Irmãos Livreiros

      ResponderExcluir
    16. Rizia!!!!
      Ler teu post ao som da música foi maravilhoso!!!! Amo-a!!!
      Eu tenho uma certa curiosidade com esse livro! Mas não gosto de nada que trate de guerra. Tenho um filho Historiador (como eu) e um marido militar, os dois amam o tema e as vezes cansa viu....rsrsrsr...Quando começam não conseguem parar!
      Indiquei o livro para eles. Provavelmente meu filho trará uma resenha dele graças a tua indicação!
      Amei teu post flor!
      Bjs...
      Eu Pratico Livroterapia

      ResponderExcluir
    17. Essa música é linda... Eu ainda não li o livro, mas pretendo fazê-lo em breve.
      Eu adoro livros embasados na História. E a Segunda Guerra sempre rende excelentes livros!
      Ainda ouvindo a música... Tão liiiindaaaaa,,,,

      Beijos
      Fabi Carvalhais
      pausaparapitacos.blogspot.com.br

      ResponderExcluir
    18. Oi Rizia!
      Várias pessoas estão falando tão bem desse livro que não tem como não ficar curiosa \o/ Ahhhh minha pilha que só aumenta ahhah
      Bjks!
      http://www.historias-semfim.com/

      ResponderExcluir
    19. Não sei por qual motivo, mas a música não tocou aqui hsuahusa Eu tenho interesse nesse livro desde que ele foi lançado. A partir de então, já vi várias resenhas sobe ele, e é uma com um elogio melhor que o outro! Após ler o seu comentário sobre o livro, minha vontade de querer lê-lo só aumentou, principalmente por o livro conter uma grande carga de sentimentos!

      ResponderExcluir
    20. Oii, tudo bom?
      Adorei sua resenha, fiquei bem curiosa com esse livro!!
      Um beijo
      Katrine Bernardo

      ResponderExcluir
    21. Olá Rizia,
      Amo Debussy, e Clair de Lune é uma linda música.
      Sempre soube que esse livro era maravilhoso e seu post só confirma isso. Tenho ele em minha estante, mas quero dedicar meu tempo a ele, sabe? Fazer anotações, então, pretendo ler em janeiro. Vou ler ouvindo essa música.
      Beijos e obrigada por compartilhar isso conosco ♥
      Um Oceano de Histórias

      ResponderExcluir
    22. Adorei sua menção ao mergulho que o leitor pode fazer nessa história! Eu conheço a música e a acho belíssima, saber que teve um importante papel na vida da protagonista me deixa ainda mais curiosa. E, claro, o fato de ser um romance de guerra diferente de tudo o que podemos encontrar por aí. Com uma resenha como essa, como ignorar essa leitura?

      Beijos!
      http://www.myqueenside.blogspot.com

      ResponderExcluir
    23. Olá, sabe que tenho muita vontade de ler esse livro desde que fiquei sabendo sobre o lançamento dele? A sua resenha me deixou mais cativada para ir atrás dele e ler logo, parece ser uma leitura emocionante e cativante, não vejo a hora de conferir!

      Beijos

      http://www.oteoremadaleitura.com/

      ResponderExcluir
    24. Oi Rizia
      Eu adoro livros com o tema da Segunda Guerra, geralmente são ótimos.
      Adorei sua resenha, e fiquei com mais vontade de conhecer a obra.

      Beijos
      http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
    25. Oláá
      Muito legal o post, eu estou bem curiosa por essa leitura pois fiquei sabendo o quão ela é encantadora, então é uma ótima dica e espero poder ler em breve

      Beijos
      http://realityofbooks.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
    26. Adorei o post, Rizia
      Amo esse música, ela está na minha seleção de músicas para a noite, perfeita.
      Não conhecia a obra, mas fiquei bem curiosa para saber mais, não dou fã de A Menina que Roubava Livros, mas esse livro me chamou atenção justamente por esse laço musical. Adorei o post.
      Bjim!
      Tammy
      livreando.com.br

      ResponderExcluir
    27. Nossa, pelo jeito realmente você gostou muito mesmo desse livro, eu quero muito ler Toda Luz que Não Podemos Ver e depois de ler esse post seu falando exclusivamente sobre o livro, fiquei mais ansiosa ainda para lê-lo.

      ResponderExcluir
    28. Olá!

      Tenho vontade de ler esse livro. Já da música, não gosto muito, mas ela tem tudo a ver com o livro. QUe bom que gostou da obra e sua resenha ficou incrível, parabéns!

      resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

      ResponderExcluir
    29. Olá Rizia!
      Não sei porquê, mas os livros aos quais me emocionaram e muito, se passaram na guerra. Esse livro, sem dúvida, entrou na minha lista de livros que quero muito ler. Quanto a música! É maravilhosa!!! Amo muito música e essa eu já conhecia... Mas é sempre maravilhoso ouvi-la. Ouvir essa música e ler o seu post não há coisa melhor :D
      Beijos
      Ariana Silva
      http://ariabooks.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
    30. Olá!
      Eu fiquei sabendo desse livro na Turnê Intrínseca e eu tenho muita vontade de ler, principalmente após essa música maravilhosa *-*

      http://loucurasaovento.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
    31. Olá!!
      Desde o inicio do ano que quero ler esse livro, e essa semana estou vedo tanto se falar dele, que decidi que essa vai ser minha próxima leitura, estou pronta viver essa emoção.
      Bjocas.

      ResponderExcluir
    32. Não costumo ler livros que tenham como pano de fundo guerras. Este tem um tema forte, mas contado com toda a sua inocência.

      ResponderExcluir
    33. Oie, quando esse livro lançou eu fiquei super animada em conhece-lo. Principalmente pq era lançamento no evento literário que fui. Mas confesso que o tamanho dele me assusta um pouco. Porém, quem sabe um dia eu tome coragem para encará-lo de vez. Beijos,

      Miih e o Mundo Literário

      ResponderExcluir
    34. Me disseram sobre o livro ser profundo mesmo, e é por este motivo que eu quero ler, mesmo não sendo tão chegada a assuntos de guerras, mais aonde aprendemos tantos valores é impossível não querer saber.

      ResponderExcluir
    35. Oi, tudo bem?
      Eu sempre vejo criticas muito positivas a respeito desse livro, e fico muito feliz de ver um post assim! Eu adorei a musica que você colocou e tenho certeza de que seu a ouvir enquanto eu ler o livro, irei me emocionar ainda mais.

      ResponderExcluir
    36. Olá, Rizia!

      Uma capa muito linda desse livro, gostei da sua resenha e que bom que o livro mexeu tanto assim com você!
      Abraços,

      Tony

      ResponderExcluir
    37. Olá

      O post ficou lindo
      Quero muito ler esse livro,mas ainda não tiver oportunidade, acho a capa linda

      ResponderExcluir