Resenha: Benefício da Morte

Cortesia da Editora

Benefício da Morte

Autor: Robin Cook
Editora: Record
Páginas: 448

Sinopse: Pia Grazdani é uma estudante de medicina de inteligência excepcional e temperamento reservado. Em estreita colaboração com o geneticista molecular Dr. Tobias Rothman, da Universidade Columbia, ela trabalha na pesquisa que tenta criar órgãos de reposição para pacientes crônicos, o que poderia revolucionar a saúde pública. Através desse estudo, Pia espera ajudar milhões de pessoas. Porém, quando o laboratório vira palco de uma tragédia, Pia se vê obrigada a interromper suas pesquisas e começa a investigar, com a ajuda de um colega de turma, o que teria causado o desastre no laboratório de biossegurança.
Enquanto isso, dois gênios de Wall Street pensam ter achado mais uma mina de ouro na multitrilionária indústria de seguros de vida, e concentram todos os seus esforços na tentativa de manipular dados atuariais e securitizar apólices de seguro de vida de idosos e doentes crônicos – uma fonte potencial de fortunas incalculáveis.
Quando Pia e George investigam mais a fundo, uma pergunta começa a rondá-los: será que alguém estaria usando informações de seguros de vida particulares para permitir que investidores se beneficiem da morte de terceiros?
Benefício da Morte foi um livro de cortesia da Record. Pensa numa leitora que vibrou quando leu "thriller" na capa do livro mas depois chorou no "médico". Esse livro foi o primeiro livro que tive contato com a narrativa do autor Robin Cook e também do gênero Thriller Médico (e sim, eu fiz cara feia por conta de ser 'médico') e levei um tapaço na cara porque: QUE LIVRO SENSACIONAL.


Pia está a um passo de se formar em medicina, ela é uma ótima aluna e trabalha com o médico mais odiado da Universidade, o Dr. Rothman e o seu ajudante Dr. Yamato. Os dois formam uma dupla água X vinho, enquanto Yamato é sociável, amigável e deboas, Rothman é um cara difícil de lidar e um pouco rabugento. E Pia se dá bem em trabalhar com os dois, então quase sempre tem fofoquinha da Pia em relação ao Dr. Rothman... "Como essa aluna consegue aguentar o Rothman? Só podem ter um caso"... E isso me incomodou tanto na narrativa porque a galeris (principalmente o George, amigo da Pia que já já falarei desse peste) não conseguia aceitar que Pia e Rothman se dão bem porque eles simplesmente se davam bem mesmo, sem nenhum teor sexual ou sei lá o que.

A dupla médica mais a aluna estavam num projeto de regeneração de órgãos e isso poderia mudar totalmente a medicina. Nesse projeto regenerativo, começaram pelos pâncreas de diabéticos."Mas Nathália se eles estavam mudando a medicina qual será o problema do enredo?" será a própria pesquisa regenerativa, porque com a regeneração de órgãos a área financeira de Seguro de Vida poderia ficar abalada e não lucrar (sempre o dinheiro cagando tudo). Então certas pessoinhas vão querer que essa pesquisa pare e que o Rothman suma... E que se comece a TREEEEEETA.

A narrativa é dividida em três partes. A primeira é uma apresentação da Pia e da pesquisa e no final dela conhecemos o grupo que não quer que a pesquisa tenha sucesso. Na segunda parte temos um baque no enredo e a Pia dá uma de investigadora fazendo o possível e o impossível pra descobrir a verdade de uma tragédia. E a terceira e última parte é sambadora, porque o autor dá a resolução do problema e traz mais um plot no enredo. Eu gostei muito dessas etapas do livro, não sei explicar direito, mas elas dividiram bem o enredo, sabe? E ao mesmo tempo montou o quebra-cabeça lindamente.

Agora preciso comentar os personagens, principalmente Pia e George. Pia tem um passado que deixou cicatrizes na sua personalidade, ela foi abandonada pelo pai e viveu em abrigos e sempre foi um garota problemática e que nunca era adotada. Então Pia é uma mulher com grande desconfiança e fria, mas pra mim só deixou a personagem fodástica (igual Sarai em A Morte de Sarai, a garota sofre sofre sofre e sofre mas é Badass). George... O bendito amigo da Pia que também estuda medicina mas que é um babacão, esse livro me deu uma lista pra eu odiar vários personagens mas só consegui sentir um pouco de ódio pelo George, que é o amigo que tá na friendzone e fica de mimimi pra cima da Pia enquanto ela deixa claro que não consegue tem um relacionamento que o George deseja e ele não se toca, migooooooo pare, e como disse, ele também pensava que Pia tinha um relacionamento sexual com Rothman por ser uma das alunas que o Dr. conseguiu aceitar na pesquisa, porque claro [ironia] Pia não estava ajudando na pesquisa da regeneração de órgãos porque é inteligente, mas porque tem um caso com o Rothman [/ironia].

Como comentei no início da resenha, esse foi meu primeiro livro do autor Robin Cook e espero ter outras oportunidade para conhecer seus outros livros. O autor é detalhista e tem sacadas inteligentes, até porque o cara é médico, então ele sabe do que tá falando. Se todos os livros dele for igual ou melhor que Benefício da Morte, terei um novo autor favorito.

3 comentários

  1. Oii...
    Parece ser um bom livro mesmo, gostei da resenha!
    Ainda não tive a oportunidade de lê-lo, mas assim que der vou ler.
    Bom final de semana.
    Beijinhos ;**
    Leitora Online

    Facebook | Instagram | Twitter

    ResponderExcluir
  2. Oi, Nathália! Tudo bem?

    puxa... deve ser um livro e tanto hein?
    Gostei muito da resenha!
    Provavelmente eu ainda leio "Benefício da Morte" :)

    Visite-nos e caso queira, siga-nos:
    Irmãos Livreiros

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. NUNCA tinha ouvido falar desse livro. E nem do autor. hue
    Mas quero saber de uma coisa: o autor é médico, é um thriller médico, isso fez com que o livro tivesse termos incompreensíveis para leigos?

    Achei que o livro tem uma boa premissa e fiquei curiosona pra ler. Parece mó legal!

    Bjokas!
    Blog|Twitter|Instagram|Sorteios

    ResponderExcluir