Resenha: O Encontro

O Encontro 


Autor: Eduardo Moreira
Editora: Record
Páginas: 224
Sinopse: Neste romance filosófico, Eduardo Moreira conta a história de Jonas, um jovem bem-sucedido do mercado financeiro, com um alto cargo numa multinacional em Nova York. Vive para o trabalho e seu ritmo é frenético. Não tem tempo para nada, nem para a família, nem para si. Até que um grave acidente o faz parar. Parar e refletir sobre os seus caminhos, as escolhas, a carreira e o trabalho, o amor, enfim, sobre a vida. Numa linguagem cinematográfica, o autor nos convida a pensar, filosofar e nos questionar sobre diversos assuntos. São perguntas que todos nós fazemos, fizemos ou ainda faremos em algum momento da nossa jornada: Quem realmente sou? O que me deixa feliz? O que busco na vida? 
O Encontro no Orelha de Livro & Skoob

O Encontro é o mais novo trabalho do autor Eduardo Moreira. Nele conhecemos Jonas um homem com seus trinta e poucos anos, que vive em NY e é muito bem sucedido. Mas ele vive um atual afastamento para com a sua família, pela pressa da vida (da correria da cidade grande e trabalho), ele vive apenas para a empresa que ele trabalha (onde ele é "importante").

"Há muito tempo Jonas já deixara de ser dono de sua louca rotina para dela se tornar escravo."

E numa dessas correrias para chegar no seu trabalho a tempo, Jonas sofre um acidente de carro, e esse acidente é o ponto crucial da leitura... Jonas está em coma e sua vida está por um fio, nisso o "Jonas em coma" tem sua família ao lado, enquanto o "Jonas espírito" (ou alma, acredito e-e) está vivendo numa realidade paralela, e nessa realidade paralela (sonho, ilusão...), tem a chance de mudar a sua vida. Ele começa a ser mais saudável na alimentação, começa a dar atenção a sua família e até os conhecidos (como o porteiro do prédio dele) e etc.

Parece complicado o enredo, mas o autor deixou bem simples a narrativa, enquanto o capítulo do "Jonas em coma" era desenvolvido, no capítulo seguinte o "Jonas da outra realidade" vivia melhor com si próprio e com seus próximos, que pela minha opinião ficou muito fantástico essa ligação dos capítulos. Nada confuso ou brisado.

E vemos, "graças" esse acidente,  que nosso personagem vai desenvolvendo suas reflexões e dúvidas sobre a sua existência no decorrer da leitura. Os pontos que ele levanta é impossível que o leitor também não pare e pense junto com o personagem.

"Buscar algum sentido em tudo virou um tormento para a raça humana."

Reflexões filosóficas (e com uma algumas ideias cristãs soltas), estão presentes no livro, não é aquela coisa chata de se ler, mas sim, é aquela leitura com a sensação (boa) de incômodo no leitor.

"Peço que eu saiba dizer às pessoas o quanto são importantes para mim, mas, talvez mais importante ainda, que eu saiba dizer para mim sempre o quanto eu sou importante para mim."

Como a narrativa é em terceira pessoa, não temos só o narrador observando o Jonas, acompanhamos o sofrimento de seus pais e até de uma amiga dele de infância, a Gisele.

O Encontro nós leva a discussão pessoal sobre quem eu sou, como eu devo ser e o que é a vida, são questões que parecem de outro mundo (e até mesmo sem uma resposta fixa), mas o autor consegue com uma simplicidade trazer (TALVEZ) uma suposta resposta para o leitor e para o Jonas.

O final do livro foi muito sensacional, foi um misto de "MAS O QUÊ?" com um "ISSO FAZ SENTIDO!"

"Que bela ideia, presenteá-la com o meu tempo, a única coisa, afinal, que realmente leva algo de nós."

Indico a leitura de O Encontro pra quem gosta do tema, caso contrário, será "só mais uma leitura".





11 comentários

  1. Tive que olhar a capa 3 vezes e ler a sinopse de novo pra ter certeza que não era o mesmo livro que eu conhecia, essas capas sempre me enganam u_u
    A história parece ser bem interessante, tem um tempo que li uma original que seguia uma linha parecida e adorei. Quem sabe não dou uma chance pra ele!

    bjos,
    Bianca.

    www.blogsomaisum.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Sinceramente, eu fujo de livros assim sempre que posso. São parados e não me atraem muito porém eu o leria, em um fim de tarde, quem sabe rs Vou pensar se dou uma chance :c

    Beijo,
    Larissa ♥
    Vitamina de Pimenta

    ResponderExcluir
  3. Hum...adorei! Eu amo romance e ainda mais com essa pegada filosófica, fico louca...
    Vou ler.
    Beijos!
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  4. Awn, fiquei morrendo de vontade de ler! Ainda mais com a sua ultima frase e a ultima quote que você colocou ali!
    bjs!
    http://www.vicioemlivros.com/

    ResponderExcluir
  5. Amo romances assim! Adorei a dica!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  6. Oi
    Que livro interessante e fiquei curiosa para saber mais sobre ele e o que acontece no final...
    Vou ler
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  7. Oie Nathália =)

    Não conhecia o livro, mas pela sua resenha ele me pareceu bastante interessante. Gosto de narrativas que tem um "que" filosófico, e ainda quando isso acontece em forma de romance.

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
  8. Oi Nati, tudo bem?

    O enredo é do tipo "Se eu Ficar" e "E se fosse verdade..." né? Com personagens em espírito narrando uma realidade paralela. Não imaginava que esse era o tema do livro e fiquei muito curiosa para lê-la. Gosto de histórias com recomeços.

    Beijos,

    Pah - Livros & Fuxicos

    ResponderExcluir
  9. Oi
    Eu não sou muito chegada em leituras desse gênero, mas fiquei curiosa pelo oq vc falou do final. Uma crítica que eu tenho foi essa capa que a editora lançou, quase uma cópia de Romance Inesquecivel da Ward publicado plea Universo dos Livros
    tem postagem nova no meu blog
    (e layout novo de novo kkkk)
    te espero por la
    bjinhus
    Dudi

    ResponderExcluir
  10. Gostei da resenha. Não conhecia o livro.
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá, Nathalia. Apesar de sua resenha ter ficado muito boa, não me convenci a ler o livro. Acho que não iria gostar.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de agosto

    ResponderExcluir