Resenha - Orange is the new Black - Piper Kerman

 Orange is the new Black
Autora: Piper Kerman
Editora: Intrínseca
Páginas: 304
Sinopse: Quando era jovem, tudo o que Piper Kerman queria era viver novas experiências, conhecer pessoas diferentes e descobrir o que fazer com o diploma recém-adquirido da prestigiosa Smith College. Anos depois, com um bom emprego e prestes a se casar, ela recebe uma visita inesperada - a polícia. Piper estava sendo intimada para responder por envolvimento com o tráfico internacional de drogas. A acusação era verdadeira - recém-formada, Piper teve um caso com uma traficante glamorosa que a convenceu a levar uma maleta de dinheiro para a Europa. Sua aventura pelo submundo do crime voltou à tona no dia em que a polícia bateu à porta dela. Depois de uma dolorosa odisseia pelo sistema judiciário americano, Piper acabou condenada a quinze meses de detenção numa penitenciária feminina no meio do nada - longe dos amigos, da família e de tudo o que ela conhecia. Em 'Orange Is the New Black', Piper apresenta casos curiosos, perturbadores, comoventes e divertidos do dia a dia no presídio. Cercada de criminosas, logo percebe que aquelas mulheres são muito mais complexas do que ela imaginava. Ao mesmo tempo que aprende a conviver com regras arbitrárias e um rigoroso código de conduta, Piper revela as alegrias e angústias das presidiárias e analisa a crueldade com que o sistema carcerário as desumaniza e faz com que sejam invisíveis ao mundo exterior. SKOOB

Olá Leitores!

Hoje vou contar para vocês minhas impressões acercado do livro Orange is the new Black.
Sei que muitos de vocês já conhecem a série que é um sucesso no Netflix, mas acredito que ler o livro é muito mais interessante do que ver a série, apenas.
A história é uma biografia muito interessante e envolvente.

Piper Kerman é uma jovem e se considera solitária. Sempre gostou de aventuras e do diferente. Até que um dia, ela conhece uma mulher chamada Nora e tem um breve relacionamento com ela. Acontece que Nora é uma traficante internacional de drogas e vive viajando pelo mundo. Numa dessas viagens, Piper a acompanha e acaba tendo de trazer uma mala cheia de dinheiro de volta ao EUA e quase é flagrada na alfândega. Depois do susto, ela decide que nunca mais irá se encontrar com Nora ou outra pessoa do tráfico.
Kerman refaz sua vida, estuda, consegue um bom trabalho e um noivo que é seu melhor amigo, Larry. Tudo parece estar perfeito até que um dia ela recebe a visita de dois policiais informando que ela está sendo indiciada pelo tribunal federal por lavagem de dinheiro e tráfico de drogas. Isso oito anos depois do ocorrido! 
Ela entra em total desespero, mas com a ajuda de Larry e de sua família decide confessar o crime e torcer para pegar uma pena reduzida. Ela então é condenada a 15 meses de reclusão em um presídio de segurança mínima.
Piper se preocupa com o que encontrará na prisão. Sua integridade física e psíquica serão mantidas? Como ela suportará meses longe da família e amigos?

Piper Kerman relata um pouco do cotidiano do presídio, da divisão das celas e pavilhões, da rotina de atividades, sobrevivência, trabalho e histórias das outras presas. Os momentos de solidão e os de alegria. A perda de companheiras e a recepção de novas.
Acredito que a história que conhecemos em Orange is the new Black nos transforma.
O que mais me chamou atenção no livro foi a amizade que pode surgir entre pessoas que estão compartilhando da mesma situação. 
Como cada mulher dentro do presídio tem uma história e que aprendemos  a  não julgar as pessoas apenas pela aparência ou circunstância. 
Viver no presídio é aprender sobre si mesmo, como se relacionar com as pessoas e  o quanto podemos doar.
Kerman deixa claro que sem amigas como Pop, Janet Yoga, Natalie e tantas outras, não teria suportado de maneira tão normal o seu período reclusa.Outro fator interessante é a presença constante dos amigos e da família em visitas. Além de livros e jornais que sempre enviavam pelo correio.
A leitura é envolvente e bem detalhada. Podemos ter uma grande noção do funcionamento carcerário americano e do cotidiano no interior da prisão. Adianto em dizer que é bastante diferente da série, mas não menos intenso.
Adorei Piper! Uma mulher forte que sobreviveu a aprendeu muito com o seu erro.
Recomendo a leitura para todos que gostam de livros biográficos e críticos e claro, aos fãs da série.

 Post parceiro da Editora Intrínseca

Alguém já leu ou ficou morrendo de vontade?
Assistem a série?
Comentem aí!

-Rizia

14 comentários

  1. Rizita, eu tenho mais vontade de ler o livro do que assistir a série e-e KKKKKKKKKKKK
    mas farei ambos u-u

    ResponderExcluir
  2. Rizia, que bela resenha \o/
    Eu não me senti instigada com a série, não sei bem, não dei chance ainda de assisti-la. Mas lendo a resenha do livro fiquei muito curiosa, quero muito ler. Obrigada pela dica.
    Beijinhos
    Viviane
    Razão e Resenhas

    http://vivianeblood.blogspot.com.br/2014/06/resenha-querida-sue-jessica-brockmole.html

    ResponderExcluir
  3. Oi, Rizia!
    Já ouvi falar que a série é muito legal (ainda não tive a oportunidade de assistir). Talvez eu comece a conhecer pelo livro, mais legal ainda é saber que é uma biografia. Fiquei super interessada em ler.
    Adorei sua resenha!
    Beijo!
    http://lereaminhapraia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Rizia :)

    Morro de vontade de assistir essa série e vou aproveitar Julho para colocar tudo em dia. Esse livro está na minha lista de desejados, tomara que eu goste. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Já ouvi comentários positivos tanto a respeito do livro quanto da série! Estou morrendo de vontade de ler!!!
    Amei a resenha!
    Beijão

    albumdeleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi, Rizia. Vi a divulgação do livro e o sucesso da série na tv. Mas ainda não assisti e concordo que o livro é bem mais completo. Nem consigo imaginar a vida encarcerada, privada de liberdade e o medo que ronda o tempo todo quem está numa situação extrema dessas. Nossa! Realmente tem lições a serem aprendidas. É preciso estabelecer laços, porque a pessoa surta se não tiver algum tipo de apoio.
    Gostei muito. Quero ler.
    Beijoooo!
    As Meninas que Leem Livros

    ResponderExcluir
  7. Oi, primeira vez que venho aqui
    Parece ser legal esse livro, estou com a serie para assistir aqui.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oie Rizia
    li o livro semana passada, e gostei muito. Sou viciada na série, comecei a segunda temporada, e vou sofrer quando acabar. Gostei muito do livro, e a forma com a qual Piper conta com muita sinceridade sobre o seu período no presídio.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  9. Oi, Rízia!

    Eu comecei a ver a série porque vi todo mundo comentando e, embora não seja exatamente o meu tipo preferido de seriado, acabei gostando! Mas aposto que gostaria ainda mais do livro! :)

    Beijos,
    Inara
    www.lerdormircomer.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi, Rízia, tudo bem?
    Não assisto a série nem li o livro, mas a sua resenha despertou MUITO o meu interesse. Espero poder ter/ler o livro em breve. :)

    Beijos,
    Nina & Suas Letras

    ResponderExcluir
  11. Quis ler o livro mas na época não deu muito tempo e acabei deixando passar. Sou viciada na série, acho que é a única que assisti até hoje que mostra mulheres como realmente são. A primeira temp assisti duas vezes, e estou no final da segunda, que está ainda melhor. O livro está na lista dos que quero ler. É importante lembrar que a série é muito diferente do livro, foi apenas baseada em sua história :D

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Eu estou assistindo a série, comecei a pouco tempo e vi uns 5 episódios até agora. Estou gostando dela =D

    Beijos,
    Thiago - Blog GentleGeek

    ResponderExcluir
  14. Eu acabei não criando curiosidade de ler o livro em razão de não assistir a série, apesar de ser uma história bastante inusitada, pelos "padrões brasileiros", mas interessante. Acho que até leria, se não tivesse outros livros que me atraem mais a curiosidade.

    Beijinhos

    ResponderExcluir