Resenha: O Trem dos Órfãos

O Trem dos Órfãos

Autora: Christina Baker Kline
Editora: Planeta
Páginas: 304
Sinopse: Quando Vivian Daly, uma senhora de 91 anos, decide se livrar de seus pertences antigos ela acaba recebendo a ajuda de Molly, uma adolescente órfã e rebelde, que está disposta a prestar serviços para não acabar no reformatório. Revivendo cada momento marcante de sua história, Vivian conta para Molly sobre sua família irlandesa pobre que foi de barco para Nova York em busca de uma nova vida e acabou morta em um incêndio. Sendo a única sobrevivente, ela foi levada por um trem com outras centenas de crianças que teriam seu destino decidido pela sorte. Seriam elas adotadas por famílias gentis e amáveis, ou teriam de encarar uma infância e adolescência de servidão e trabalho pesado?

O Trem dos Órfãos no Orelha de Livro & Skoob

Confesso pra vocês que quase não pedi o livro pra Editora Planeta. Quase não pedi porque estava receosa de não gostar da estória ou narrativa. MAS TOMEI NA CARA. Eu adorei O Trem dos Órfãos! ~penso seriamente que esse livro deveria ser adaptado para os cinemas~

Primeiro de tudo, O Trem dos Órfãos realmente aconteceu: nos anos de 1854 e 1929 nos Estados Unidos, foi criado para transportar crianças de ruas, abandonadas, para que sejam "adotadas" por famílias, mas grande parte dessas crianças no fim eram "abrigadas" por famílias dissimuladas, viravam "escravos" de quem deveria estar cuidado dela, as que conseguiam boas famílias eram poucas. Charles Loring Brace, foi o cara que criou esse programa pensando no melhor para essas crianças, acreditava que a educação, um bom ambiente familiar poderia fazer bem a essa criança marginalizada, mas o projeto não deu muito certo, não é mesmo?
"Tenho noventa e um anos de idade, e quase todo mundo que já fez parte da minha vida agora é um fantasma."
Página 9

Vivian é a nossa personagem de 91 anos é a prova desse fenômeno histórico, conhecemos a sua infância (narrado em primeira pessoa) até a fase adulta. E ainda temos a narrativa da atualidade, ano 2011, em terceira pessoa contando a vida de Molly, uma jovem "órfã" que está com uma família (não muito essas coisas).

Molly conhece Vivian através de trabalho comunitário, Molly rouba um livro de uma biblioteca e para não ser levado ao reformatório (e perder sua ""família"" atual) ela aceita fazer um trabalho voluntário na casa de Vivian, que é praticamente arrumar o sótão da Vivian. Só que Molly acaba conhecendo a vida de Vivian mais a fundo através de suas bugigangas guardadas.

Só que Molly não imaginava uma vida tão dura, Vivian nos conta detalhadamente tudo que aconteceu com ela, quando as coisas pareciam boas vinha uma desgraça pra estragar tudo. Teve até uma parte do livro que fiquei com muito nojo, receio, dó e vontade de esmurrar alguma coisa, de tanto que a narrativa conseguiu me passar a dor da Vivian quando criança, migrando de família em família.

A grande lição que tirei ao conhecer a história de vida da Vivian foi: aconteceu desgraça com ela? Aconteceu, mas quem disse que todas as coisas ruins que apareceram iriam "estragar" sua pessoa, mesmo ela crescendo com sofrimento, ela se torna uma jovem mulher de respeito (trabalhando no que gosta, conseguindo fazer amizades e até conseguiu dois amores). Foram tantos caminhos conturbados na vida de Vivian mas não foram o bastante para torná-la uma mulher odiada e revoltada com a vida.

Molly aprende isso com Vivian e aceita "querer mudar", ser mais responsável sem perder a diversão de ser uma adolescente.

O Trem de Órfãos é um livro que vai fazer o seu estômago embrulhar, vai fazer você chorar, mas você também presenciará o amadurecimento das personagens, que é o mais importante.

Sobre a edição da Planeta no livro só tenho elogios, a fonte é confortável, o tipo de folha é aquela que: por mais o livro tenha mil páginas ele é leve, a diagramação e espaçamento está realmente ótimo.

E já falei que esse livro é digno de ser adaptado para os cinemas?


7 comentários

  1. Oi Nathália :)

    Esse livro chama muito a minha atenção, pois gostei muito da premissa e a sua resenha não poderia ter ficado melhor. Adicionado a lista. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá! Uau, amei sua resenha.
    De cara o livro chamou minha atenção, essa sinopse é extremamente instigante, e eu não me lembro de ter livro algo assim, sobre órfãos e tal, e sua resenha açoitou mais ainda minha vontade, já estou procurando o preço pra ver se compro hahahaha
    Tem sorteio rolando lá no blog, vem participar: http://www.thousandlivestolive.com/2014/06/sorteio-o-livro-do-amor.html
    Beijos da Gab ♥

    ResponderExcluir
  3. Ai meu Deus, só de olhar para esta capa eu já sei que iria amar este livro, é o tipo de literatura que me chama muito a atenção e me pega de jeito. Pretendo comprar e ler em breve!

    Beijo, Van - Blog do Balaio
    balaiodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Nathália, querida, adorei sua resenha. O livro logo me chamou a atenção pelo tema: não consigo resistir a narrativas contadas em ambientes de guerra. Especialmente se são dramas cheios de reflexões e lições de superação assim. COnfesso que tb tenho medo da dor que possa sentir com o sofrimento dos personagens, mas superando isso o livro tem tudo pra se tornar inesquecível.
    Beijo.

    Minhas novas resenhas (adorarei ter sua opinião):
    Ler para divertir
    As Meninas que Leem Livros

    ResponderExcluir
  5. Alguém conseguiu baixar em pdf???????

    ResponderExcluir
  6. Eu li o livro. Gostei bastante,só não puder aceitar o final;fiquei com um gosto amargo. De resto foi muito bom.

    ResponderExcluir
  7. Eu li o livro. Gostei bastante,só não puder aceitar o final;fiquei com um gosto amargo. De resto foi muito bom.

    ResponderExcluir