#PHpoemaday - Velhice

(continuação do texto de ontem, sobre a Infância)

Depois de dois dias Noemi saiu da maternidade. Sua família estava completa, só faltava escolher o nome para sua bebê. 
Ricardo (seu marido) foi na frente levando as malas e abrindo o carro para as duas entrarem. Noemi ficou encantada com a nova vida em seus braços, falava com a menina e seu marido só a observava pelo retrovisor, sorrindo que nem um bobo. Ela levantou os olhos e viu Ricardo olhando:
- Eu te amo. - e ela voltou a mexer com os bracinhos de sua filhinha ainda sem nome.
Como a maternidade é um pouco fora de mão da casa do casal, eles pegaram um belo trânsito. Mas aproveitaram a parada no engarrafamento, Ricardo ligou o rádio e estava tocando a música Don't' cry da banda Guns n Roses, a música do casamento deles e foi a primeira música que sua filha ouviu na vida. 
Mas começou uma onda de buzinadas entre o carros e Noemi ficou meio insegura e perguntou ao marido:
- O que está acontecendo? 
- É o transito amor, pessoal está com pressa, pensa que buzinar resolve. - Responde Ricardo despreocupado e nisso a bebê começa a chorar, incomodada com o barulho e Noemi fica mais nervosa, era mãe de primeira viagem, não sabia como fazer parar o choro de sua filha e começou a cantar bem baixinho. 
As buzinas não paravam até que se ouviu um tiro e tudo parou, até a bebê parou de chorar.
A janela do carro estava aberta (estavam no verão).
E três homens mascarados apareceram na janela com uma arma na mão e Noemi entrou em desespero;
- Por favor não mexam com a minha filha... - e se teve um apagão.
Ricardo chorando e gritando por ajuda pegou sua filha dos braços de sua amada e saiu pela porta do passageiro, protegendo-a de qualquer mal que esses três homens poderiam fazer a criança. Saiu correndo pela rua, gritando com a filha no colo - que chorava mais alto. 
Policiais aparecerem e perguntaram se tinha alguma vítima e Ricardo respondeu:
- Minha esposa... Não pude envelhecer com ela.
#PHpoemaday
Texto de minha autoria para o Desafio de Escrita do blog Central da Leitura, não pode ser plagiado/copiado/divulgado sem minha autorização.

Nenhum comentário