#PHpoemaday - Um Circo

Leitura para maiores de 16 anos: palavras de baixo calão e violência



Serafina era a mulher mais bonita do circo. Mais cobiçada pelos palhaços, acrobatas, malabaristas. Tanto homens quanto mulheres, a olhava com luxúria. Sua especialização era contorcionismo, mas também era a melhor de cama de todo o grupo do circo. Seus contorcionismos eram usados entre quatro paredes, dando mais prazer a ela e o seu acompanhante do dia.

Ontem a noite era a vez de Plínio passar a noite conhecendo o corpo de Serafina, mas quando entrou no camarim de Serafina teve uma bela surpresa, ele a encontrou morta.

Seus olhos estavam esbugalhados e ela estava sem qualquer roupa de baixo, sua saia estava enfiada em sua boca (provavelmente usado para abafar os gritos da vítima). Mas o que chamou atenção de Plínio foi o sangue escorrendo entre suas pernas, chegando mais perto ele viu que a vagina de Serafina estava esfaqueada, pedaço de carne no chão, uma catarata de sangue saia de um buraco e descia em suas pernas.

Ouviram os gritos de nojo de Plínio, todos do circo apareceram no camarim de Serafina e entraram em estado de choque.

Chamaram a polícia, veio a perícia, o detetive. O local estava cercado como uma típica cena de crime, tinha homens do IML retirando o corpo da vítima.

O detetive Ruiz ficou designado para entrevistar todos do circo, tentar achar um olhar culpado, uma roída de unha, um gaguejo, uma história sem cabimento.

Até que chegou a hora de entrevistar Créia.

Créia era uma das ajudantes do Mágico do circo, mas não era aquela mulher ajudante bonita que chama a atenção do público pela sua beleza, mas sim pela sua feiura. Ela era o bobo da corte do circo, fazendo com que a plateia ria para desviar a atenção que eles tinham no mágico, enquanto ele preparava o truque fajuto que todos iram aplaudir depois.

Estavam numa salinha improvisada no circo. Ruiz pediu para que Créia se sentasse e contasse um pouco sobre a sua vida no circo e qual era sua relação com Serafina.

E sem pedir duas vezes, Créia começa a falar:

"Serafina era uma puta, ela se achava porque era a mais bonita de todo o circo, todos queriam ter ela por uma noite, ela não era de compromisso, então realmente, todo santo dia ela estava com uma pessoa diferente. Mas isso não era o grande problema, foda-se isso. O que era ruim, era ter que aguentar a filha da puta cochichar para todos alguma coisa relacionada a mim, ela fazia piadas a meu respeito na maior cara dura e o acompanhante do dia também ria e concordava, eles nem me conheciam, a maioria do pessoal do circo nem olhava pra mim, mas depois que Serafina começou com as gracinhas de uma retardada, todos começaram a me reparar e me xingar. Então decidi."

Créia respirou fundo, os olhos de Ruiz estavam cravados nos seus, ela se levantou e deu um murro no detetive que perdeu um pouco os sentidos.

Ela o prendeu na cadeira com a algema que estava em cima da mesa, tirou a faca que estava enfiada no cós de sua calça, pegou um pedaço de pano dentro do bolso e enfiou na boca do detetive quando viu que ele ia gritar.

"Cale a boca detetive, você é outro merda que também riu da minha cara e merece o mesmo destino daquela puta."

Créia se lembrava do Detetive no Circo, de paquera com Serafina, ela lembra que os dois tinham reparado nela os observando e começaram a rir da cara dela, enquanto Serafina apontava pra ela e olha de cima a baixo, o Detetive se deliciava com as piadas de Serafina, sabia que iria ter um boquete mais tarde então fez tudo para agradar a vadia.

Da mesma forma que vez com Serafina, Créia cortou o pênis murcho e pequeno do detetive e ele urrou mesmo com o pano na boca.

E deixou mais um corpo desfalecendo e jorrando sangue.

Pela primeira vez, o assassino não é um palhaço.


#PHpoemaday
Texto de minha autoria para o Desafio de Escrita do blog Central da Leitura, não pode ser plagiado/copiado/divulgado sem minha autorização.

Um comentário

  1. Olá.
    Medo desse seu texto UAHSAUHS Mas ficou muito bom. Tenho medo de circo, por isso nunca fui em um, sério q

    Beijos, Vanessa.
    This Adorable Thing
    http://thisadorablething.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir