#PHpoemaday - Personagem Literário

Depois que a Terrível Guerra de Ferro acabou, Daenerys Targaryen, a garota de cabelo platinados e de magreza extrema, vive em uma choupana. Uma choupana simples, comparado com a cidade que ela estava reinando antes da Guerra, com paredes de pele de animal e grandes folhas de Carvalho. Uma choupana no extremo norte dos Sete Reinos.

Daenerys, antes da Guerra, era conhecida em todos os reinos como "a mãe dos dragões", a Rainha que tinha o exército dos Imaculados, aquela que libertou uma cidade inteira da escravidão. Era a líder que todos esperavam ter.
Justa.

A Terrível Guerra de Ferro foi cruel com Daenerys, acabou com o seu desejo de tomar do Trono de Ferro, acabou com seu exército, acabou com seu poder e vontade de lutar. Seus Imaculados foram ao chão, os libertos fugiram na primeira oportunidade e seus conselheiros morreram. Sozinha, a última Targaryen.

A última Targaryen vivendo no extremo norte, onde o inverno é rigoroso, onde vivia sozinha, sem contato humano e com dificuldades para se alimentar.
Sua beleza sumiu, seu platinado ficou apagado.
Olheiras e traumas, presentes na sua alma.

Já do outro lado dos Sete Reinos, atravessando todo o continente, um outro universo, uma outra vítima. O derrotado Smaug, derrotado por um grupo de anões ingratos e egoístas juntamente com um Hobbit, Bilbo.

Smaug sabe que está em seus últimos dias de vida, sua respiração já é cansada e curta mas ele não quer morrer escutando a comemoração (que já dura dias) dos anões, Gandalf e Bilbo, ele quer reunir todas suas forças e voar para longe. Será seu último sacrifício.
E assim levanta voo ao norte do Sete Reinos.

***

Daenerys estava a preparar sua fogueira da noite, o que mais sente falta é o calor fácil, mas vivendo no local que as quatro estações do ano são só o Inverno, é difícil se manter aquecida. Ela sentiu falta mais uma vez de seus dragões e ao lembrar deles, ela escuta um bater de assas.
Eles estão voltando para mim. Pensa feliz com a falsa esperança criada.
Seus dragões estavam mortos, seus filhos já não existiam mais.

Ao olhar para o céu, viu o grotesco dragão, seu coração acelerou mas ela sabia que não era um dos seus. Ele fora caindo em direção ao chão, derrubando Pinheiros em sua aterrissagem. Ela pegou seu manto e atravessou o mar branco indo ao sentido da besta.

Smaug respirava os últimos ares, gelado.

A Targaryen correu com dificuldade pela neve, mas chegou a tempo de presenciar a morte lenta de Smaug. Ela viu que suas escamas era muito mais assassina que dos seus dragões, era um lixa, e os espinhos deixava o corpo de Smaug como um escudo. Era de uma beleza incomparável. Ela ficou admirada mas veio a tona o questionamento
É possível esse animal morrer?. Ela pensa.
Se aproximando do monstro, Daenerys se lembra do sofrimento que seus dragões passaram antes de finalmente morrer, a vertigem veio e ela se agachou apoiando-se próximo ao olho direito do dragão.

Smaug sente a aproximação da humana de cabelos platinados mas resolve não se mexer, queria morrer em paz. Por mais que ela poderia ser sua última "refeição", escolheu ficar no silêncio a espera da Morte. Se ela fosse inteligente o deixaria quieto.

Daenerys cochicha mas sua frase termina como se fosse um grito de socorro: - Eu sou a Mãe dos Dragões, eu irei tomar conta de você até o último respirar.

E como imaginado, no último suspiro de Smaug, ele diz: - I'm fire... I'm dea...
#PHpoemaday
Texto de minha autoria para o Desafio de Escrita do blog Central da Leitura, não pode ser plagiado/copiado/divulgado sem minha autorização.

Um comentário

  1. Oi, Nathalia, tudo bem?

    To acompanhando esse desafio lá no Central. Muito boa a ideia da Van e tb adorei o seu texto.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir