[Eu li, mas...] Cidades de Papel - John Green

Hi Leitores!
Essa não é a coluna mais feliz, mas é necessária.
Vamos entender o que aconteceu.



 O livro foi: Cidades de Papel do nosso queridíssimo Green.

Sinopse: Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma.
Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte.
Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia. SKOOB

Acredito que o maior problemas desse livro está nas personagens principais.
Elas definitivamente não são cativantes.
Quentin é um garoto inteligente, não muito popular, filho de um casal de psicólogos e vizinho de Margo Roth Spiegelman. Menina descolada e aventureira e muito enigmática.
Quando crianças eles se divertiam bastante juntos, mas com o passar dos anos foram se distanciando.
Até que em uma madrugada, ela pede para que Quentim a acompanhe em tarefas que precisava realizar na madrugada. Era uma vingança contra vários "Amigos".
Depois dessa fatídica noite, ela some.

Ai começa o problema.
Com o sumiço, que não é o primeiro de Margo, Quentim acredita que ela deixou pistas para que ele a encontre. E a narrativa de arrasta nessa obsessão de que ele precisa encontrá-la a todo custo. Os enigmas não são instigantes, tudo parece meio sem sentido.
Enfim , não me cativou.
Não é que o livro não seja bom, ou que não tenha aquelas tiradas mais do que inteligentes que conhecemos de Green, mas não é tão empolgante quanto os outros.

Gostaria de saber a opinião de vocês.
O que acharam do livro?

-Rizia

6 comentários

  1. Olá!

    A maioria que leu me disse que é uma versão piorada de Quem é Você, Alasca? que eu li e gostei muito. Não me chama muito a atenção esse livro.

    Beijos

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Tenho muita vontade de ler esse livro
    Mas ainda não tive oportunidade
    Goste da resenha

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho muita dificuldade de gostar do John Green, mas eu ainda quero tentar gostar de algum livro dele, mas acho que não será esse kkkkkkk

    Bjs, Mi

    ResponderExcluir
  4. Li cidades de papel habalgumas semanas e aoncontrario de vc, eu gostei bastante! Achei que toda a demora de achar a Margo foi super envolvente e me deixou super curiosa. E eu adorei a mensagem que o autor passa no livro...
    Q pena e vc n gostou tanto :/
    Forever a Bookaholic

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Oi Rizia,
    Não li muitos livros do John Green, mas Cidades de Papel foi um deles, e apesar de muita gente não gostar do livro, eu simplesmente amei. E por favor não me matem, me cativou bem mais que ACEDE, acho que isso aconteceu mais pela lição no final do livro do que o resto do enredo.

    Bjim!!!

    Tammy - Livreando
    Faça-nos uma visita.

    ResponderExcluir