Resenha: Pretty Girl-13

Pretty Girl-13

Autora: Liz Coley
Editora: Benvirá
Páginas: 224
Sinopse: Três anos se passam, e Angie Chapman reaparece sem qualquer lembrança desse período. Como se o tempo tivesse parado. Ela ainda acredita ter treze anos e insiste que dali a três semanas vai para o oitavo ano. Angie não se reconhece na imagem da garota alta e magra que aparece refletida no espelho toda vez que se olha. E nem faz ideia do que são aquelas marcas e cicatrizes no seu corpo. Pretty Girl – 13 um mistério psicológico fascinante e perturbador em que a garota Angie tem de juntar os flashes de sua memória para descobrir a sua verdadeira identidade, ou seriam identidades?

Pretty Girl-13 no Orelha de Livro & Skoob

Um palavra que descreva Pretty Girl-13: Perturbador.

Devo avisar primeiramente que Pretty Girl-13 não é uma leitura fácil e feliz, de começo ao fim você se encontra sofrendo com tudo que aconteceu com Angie, não é que nem A Culpa É das Estrelas que fala sobre uma doença grave mas que todos amam por ser fofinha e tal. Pretty Girl-13 é dolorido como se cada palavra do livro despedaçasse seu coração.

Conhecemos Angie uma garota que por três anos estava desaparecida e do nada reaparece mas com a consciência que não se passaram três anos, ela ainda acredita que tem seus quatorze anos. Mas ela não volta "sozinha", suas várias personalidades que foram criadas pelo grande trauma que ela passou desaparecida, que foram a forma de escape de sua mente pra não sofrer tanto, vem com ela e ela deve aprender a destruir cada uma dessas personalidades e voltar a ser ela mesma.

Uma garota desaparecida a três anos, quer dizer, abusada, espancada, e todo o tipo de sofrimento que se pode ter estando em um cativeiro longe de sua família e amigos, é isso que devemos esperar - e até mais além - da vida de Angie.

E agora de volta pra sua família e amigos, sem saber o que realmente aconteceu Angie tenta se reorganizar familiarmente, tenta se acostumar com seu corpo de jovem, tenta ajudar ao máximo as investigações sobre seu caso e também se ajuda com a sua psicologa para saber o que houve com sua mente que está em puro blackout e precisa entrar em contato com as outras personalidades. E nisso entra a Doutora Grant que é a responsável para "melhorar" Angie e seus demônios e/ou personalidades que foram criadas por ela mesma.

"- Alguém precisa falar pelos outros, para que eu possa te ajudar a ajudar a Angie. Convido alguém para se manifestar, por favor. Precisamos conversar. Angie pode esperar aqui ao lado."
Página 68 - Doutora Grant

E sim, parece que é uma possessão que toma conta da Angie e age. É realmente assustador você não poder confiar em si mesma, Angie não confia em si com medo de que cada uma das personalidades aparecesse em algum momento errado ou que desse muito na cara que ela realmente está com sérios problemas psicológicos.

"Eles não podiam não ser mais seus melhores amigos. Podiam não ter mais nada em comum. As brincadeiras estariam todas ultrapassadas. Ela não conheceria as músicas, os programas e os websites que eles estavam agora compartilhando."
Página 32

Greg, Livvie e Kate foram os melhores amigos de infância de Angie - já Greg foi sempre seu par, o garoto certo dela desde pequena - e após esses três anos Kate já não anda mais com eles e nem com mais ninguém da escola por conta de um acidente que Kate tentou ajudar, mas acabou sendo visto como "a deduro" pelos amigos. E Livvie e Greg são namorados. Então imagine a surpresa pra Angie associar uma das suas amigas namorando o garoto que ela pensava que seria dela.

"- Podemos ser leprosas juntas?"
Página 90 - Angie para Kate

E nada mais justo que juntar as duas garotas excluídas da escola, Kate e Angie apesar desses três anos se mostraram amigas de verdade, Kate sendo a consciência de Angie em suas dificuldades.

"- Por três longos anos, tudo o que eu queria era saber o que gabia acontecido com você. Agora... honestamente, não sei se quero que você se lembre."
Página 34 - Mãe da Angie

Pretty Girl-13 é um drama total e muito bem estruturado, foi muito bem escrito e muito bem construído cada personagem, mas podem ficar tranquilos com a finalização do livro, não é sem pé nem cabeça, Pretty Girl-13 tem uma finalização agradável, cada um tem o final que merece mas como na vida real não termina "felizes para sempre" há lados ainda machucados e ainda Angie vai se sentir machucada mas agora não sozinha, família, amigos e um namorado - muito gente boa <3

O livro é dividido em três partes: Você, Nós e Eu. Nas duas primeiras partes a narrativa é em terceira pessoa e na última, na Eu, a narrativa é em primeira pessoa. Eu achei esse tipo de narração muito bem pensada porque deu pra ver o ponto de vista de Angie e suas personalidades e foi estranho - no sentido bom da situação.

Em resumo, Pretty Girl-13 foi uma leitura dolorosa mas que em nenhum momento conseguia largar por mais que ele seja perturbador, você quer continuar e continuar pra saber quem realmente são as personalidade de Angie, como elas apareceram no decorrer desses três anos, quem é a verdadeira Angie e o que aconteceu durante esse anos sumida, as vezes você se arrepende em querer descobrir o que aconteceu com Angie mas é a vida de leitor, você terá que ter um coração forte.

~nathália

5 comentários

  1. Parece ser um bom livro, mas quando eu vi que era um suspense psicológico fiquei com um pé atrás, porque não tenho gostado muito dos que tenho lido. Mas pretendo dar uma chance.

    Beijos,
    biblioteca-de-resenhas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Gostei da dica do livro, parece ser bom

    Um Beijo
    | http://estudiodasamigas.blogspot.com.br |

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Já tinha visto esse livro pela blogosfera, mas essa foi a primeira resenha que li. Parece uma história bem realista e forte. Gostei do tema e fiquei muito curiosa sobre como a personagem lida com tantas personalidades e seu trauma. Adorei a resenha.

    Beijos

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Durante a leitura dessa resenha pensei num filme sobre essas identidades múltiplas. Não sei se teria ânimo, no momento, para uma leitura assim, mas parece ser uma história bastante interessante. Não conhecia nada da autora, fiquei curiosa.

    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Eu amei esse livro. Quando resolvi lê-lo, o fiz com base na resenha do skoob em inglês. Nela não consta a informação de que a personagem terá TID e eu achei isso algo essencial na minha apreciação da história.

    O motivo foi que comecei o livro achando que ela tinha transtorno de estresse por traumático. Quando descobri o TDI foi uma surpresa tão grande que foi praticamente revigorante.

    Amei a forma como o tema foi apresentado e, acima de tudo, a preocupação da autora, ao final do livro, ao colocar que o TDI não é resolvido tão rapidamente quanto foi com a personagem e que ela só usou tal velocidade para dar agilidade à história.

    http://www.conchegodasletras.blogspot.com.br/2015/04/resenha-pretty-girl-13.html

    ResponderExcluir