Resenha: Hemlock Grove

Autor: Brian McGreevy
Editora: Leya
Páginas: 340 páginas
Sinopse: Um mistério abala a cidade de Hemlock Grove. Quando Brooke Bluebell, uma jovem de 17 anos, é brutalmente assassinada na antiga siderúrgica de Godfrey numa noite de lua cheia, as suspeitas rapidamente recaem sobre Peter Rumancek, o jovem cigano que muitos acreditam ser um lobisomem, e Roman Godfrey, o esnobe milionário herdeiro da fábrica onde o corpo de Brooke foi encontrado. Injustiçados, Peter e Roman resolvem unir forças para descobrir o verdadeiro assassino e provar que são inocentes. A caçada começa quando outras mortes passam a ocorrer – também em noites de lua cheia - e os jovens começam a desconfiar que estão mais envolvidos com o caso do que poderiam imaginar. Em “Hemlock Grove” os arquétipos de monstros clássicos são recriados de forma inovadora e eletrizante. A cada página, o mistério se intensifica, envolvendo o leitor numa trama de horror surpreendente, indicada para aqueles com estômago forte.

Hemlock Grove foi adaptado pela Netflix num seriado de 13 episódios de quase 60 minutos de duração cada. Assisti, mas ainda não terminei por questões de não ter achado os últimos episódios legendados e também porque fiquei sem tempo pra acompanhar. 

Já o livro foi lançado esse mês pela Leya e assim que soube que já estava nas livrarias não perdi meu tempo pra comprar porque já que eu estava amando o seriado eu iria amar o livro, e não deu outra. 

Em Hemlock Grove temos a ocorrência da morte de Brooke, com indícios de uma morte muito violenta por um grande animal - lobisomem. Peter é o cigano e o novo habitante da cidade estranha, só que Peter acaba fazendo algo estúpido numa brincadeira com Christina, acaba contando que ele é um lobisomem e assim ela espalha para a cidade toda que foi ele quem a garota Brooke. Então Roman e Peter se juntam pra descobrir quem é o vargulf - lobisomem doente - para que as suspeitas saem de cima do nosso cigano. 

A amizade entre os dois primeiro é diferente pelo fato de um ser lobisomem e o outro ser um upir - tipo de vampiro - mas também pela diferença de cultura, etc.
Você não pode abandonar tudo por uma coisa estúpida como aquela. Não pode me deixar... a sós.
Ele pronunciou a sós corretamente, mas de alguma forma continuou a rimar com nós.
Peter pensou em como poderia explicar as coisas para Roman de um jeito que não o aborrecesse ainda mais. Explicar que eles não eram iguais, que, embora Roman se sentisse diferente do resto do mundo, ele ainda era rico e totalmente diferente.
 
Página 199 

Mas por mais que existem diferenças entre eles, eles se completam, o humor de cada um, o carinho que vai crescendo um pelo outro, é de fato que uma grande amizade está sendo construída.

- Está tudo bem - disse Lynda. - Apenas fique afastado.Então Roman estalou os dedos e disse: - Droga
- O que foi? - Disse ela.
- Eu me esqueci de trazer um
frisbee.Com uma gravidade xamânica, Peter ergueu seu dedo médio.
Página 61

Já a Olivia, mãe de Roman não aceita muito bem a amizade entre eles - e ela também não tem um bom relacionamento com Roman - ela sendo uma mulher egocêntrica e que considera-se superior a qualquer um.

(...) como é que duas pessoas cujo amor de uma pela outra é tão grande podem encontrar palavras de tamanho ódio?
Página 94, Shelley sobre Roman e Olivia

Norman, pai de Letha e tio de Roman - que tem um caso com Olivia - é o dono da Torre Branca, onde há experiências desconhecidas com humanos, é um dos mistérios da cidade. Shelley irmã de Roman também é outro ponto misterioso do livro. Letha a prima de Roman, também não perde espaço nas bizarrices do livro. Nunca vi um livro tão bem desenvolvido e narrado com tantos personagens complicados, com segredos, psicóticos e brisados.

Hemlock Grove é narrado em terceira pessoas e as vezes o narrador conversa com o leitor, não é um conto de fadas, é um livro de mistério e terror.

E mesmo que eu já tenha começado a assistir a série antes de ler, o suspense não se perdeu, acho que ficou até maior. Dando um pequeno espaço sobre o seriado, até a parte que eu assistir, fizeram uma boa adaptação e incluíram algumas explicações que não está no livro. O elenco se encaixa perfeitamente com o que é descrito os personagens no livro. E foi confirmada a segunda temporada pro ano que vem.

~nathália

4 comentários

  1. Olá!

    A história parece mesmo instigante e eu não sabia que havia um seriado. A capa chama muito a atenção.

    Beijos

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. A capa é fascinante, mas sinceramente não me interesso muito pela trama central do livro...verei se leio.
    Beijos!
    Paloma Viricio-Jornalismo na Alma.

    ResponderExcluir
  3. Oi Nathália!
    Curti a resenha, mas não é o estilo de livro que eu curto então acho que não o leria =/ Talvez como série eu conseguisse assistir, já que gosto desse tipo de histórias em séries/filmes (vai entender, né?).
    Beijos
    http://www.coisasdemeninasarteiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. parece ser bem interessante
    Vou procurar a série também

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir