Resenha: Reformed Vampire - Grupo de Apoio ao Vampiro

Autora: Catherine Jinks
Editora: Farol Literário
Páginas: 392
Sinopse: "Reformed Vampire – Grupo de Apoio ao Vampiro" é uma história diferente de tudo o que você já leu sobre vampiros. Na verdade, você vai conhecer o lado real de ser um vampiro, aquele que ninguém conta! Eles estão quase sempre doentes ou com dor, e se reúnem em uma espécie de terapia de grupo para discutirem seus problemas e como controlar seus instintos, ou seja, o desejo de sair mordendo pessoas. Nina tornou-se vampira quando tinha apenas quinze anos, e não envelheceu um dia desde então. Mas também não teve um dia sequer de diversão, já que sua rotina isolada dentro de casa é incrivelmente chata, sem poder fazer o que realmente tem vontade. No entanto, tudo vai mudar na vida dela e de seus amigos vampiros quando um membro do grupo é morto de forma misteriosa. Tendo sua identidade ameaçada, terão que sair à caça do assassino, e logo se descobrirão em uma disputa contra lobisomens. Será que vampiros tão frágeis poderão vencer uma batalha como esta? Sangue, desejo e instinto vem à tona com uma bala de prata no peito, estopim de uma batalha em busca da identidade.

Eu fiquei interessada pelo livro lendo uma resenha, num blog que não me lembro e nem me lembro o que li pra ter me deixado interessada na leitura. Mas o que importa é que gostei do livro, mais uma vez estou dando a oportunidade aos vampiros - que não são meus favoritos seres sobrenaturais.

Já vemos no livro que trata de uma realidade muito diferente: o vampiro é um ser frágil, sem nenhuma habilidade, sem nenhum "super poder" pra destruir o vilão. Eles são um bando de "pessoas" cansadas, doentes, que passam o dia dormindo e acomodados.

Nina faz parte desse grupo de vampiros, que toda terça se encontram pra uma seção de terapia, onde tentam dividir seus pensamentos, suas vontades, sua revolta de ser um vampiro e não poder aproveitar nada de bom em ser um, porque até agora eles não acharam um bom motivo para ser um vampiro. Nina foi infectada com 15 anos, mas atualmente ela teria 51 anos, e assim como o resto do grupo, ela não se alimenta de seres humanos mas sim de porquinhos da índia para não infectar mais ninguém. Ela é a escritora do grupo, ela escreve sobre uma vampira fantástica, ao contrário dela.

A rotina do grupo de apoio sempre foi a mesma, mas quando encontraram Casimir - o vampiro mais velho - morto, todos se preocupam em achar o assassino e então os pequenos e frágeis vampiros vão em busca de saber quem é o autor da morte de Casimir.

A Nina é a narradora do livro, e tenho que admitir que muitas vezes eu ficava confusa com a narração, porque ele é uma narração-diário (?). Por exemplo: ela ia dormir, e enquanto isso acontecia outras coisas com os outros vampiros, e ela só vai saber o que aconteceu no dia seguinte, que seria no caso, o capítulo seguinte. Então ela já narra jogando tudo pro leitor o que aconteceu. Ai eu me pegava fazendo o seguinte questionamento: "Mas como diabos ela sabe disso?" ai ao final do capítulo ela explica como sabia de tal fato. Essa narração me incomodou no começo, da metade pro final eu consegui pegar o jeito.

Mas o que valeu a pena na leitura foi a sátira que a autora fez aos vampiros, ao meu ver foi isso, porque eu nunca tinha lido nada de vampiros tão pé frio como eles e de como as coisas foram acarretando a mais problemas a partir do plano inicial de só irem atrás do assassino de Casimir.

O enredo da perseguição do assassino de Casimir, a descoberta de outra espécie sobrenatural, a "humanidade" ou a força de vontade de viver dos vampiros. Foram os pontos que foram tratados no decorrer do livro, mas tenho que dizer que não foi O livro, mas valeu a pena ter lido algo bem diferente tratando-se de vampiros, e se forem ler vão com a mente aberta porque esses vampiros são meio bizarros, e por conta disso eu gostei!

Grupo de Apoio do Vampiro é o primeiro livro da Trilogia Reformed Vampire, o segundo livro é o Abused werewolf – grupo de resgate ao lobisomem, é previsto o lançamento em Novembro também pela Farol Literário.

- nathália

8 comentários

  1. Adorei esse estilo de resenha mais formal que você fez :3 Me interessei bastante.

    Beijos,
    a-song-of-fire.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu adorei sua resenha, eu li uma a alguns meses atras e o livro me interessou mt!
    Um beijo.
    http://livrodagarota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não gostei dessas capas
    Mas parecem ser muito bons

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. A história do livro não despertou meu interesse, gosto quando os vampiros têm super poderes e conseguem impressionar o leitor. Pelo que você descreveu a narrativa também me incomodaria. Gostei muito da resenha! :)
    Beijos!

    Rafa {Fascinada por Histórias}

    ResponderExcluir
  5. Olá meninas,

    Adoro estórias de vampiros,nunca me canso delas.Achei o título do livro bem inusitado, um grupo de apoio para vampiros eu nunca vi algo assim.Gostei da forma como colocou os pontos negativos sem desencorajar a leitura.

    Bjos
    www.roubandolivros.com

    ResponderExcluir
  6. Quando o livro foi lançado eu fiquei interessada, mas depois acabei deixando de lado, achei legal a abordagem da autora, acho que preciso mesmo ler.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  7. Eu até estive por comprar o livro, mas no final, acabei priorizando outros e deixei de lado.

    Sua resenha me fez entender melhor do que se tratava tudo. E saber que esses vampiros não são os poderosos, me fez rir porque foge totalmente do que já li antes.

    Beijão

    Gláucia- booklover.com.br

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o livro, e confesso que estranhei e muito a premissa do livro. E talvez por esse motivo em especial ele deva ser interessante, porque foge de tudo aquilo que já tivemos até então. Eu confesso ser grande fã destes seres, mas a saturação do mercado acabou me deixando com o pé atrás com meus pobres vampirinhos ultimamente. Quanto a narração, não é meu estilo favorito, pelo que tu contou parece que deve ser bem confuso mesmo. Enfim, não sei se leria o livro (acho que estou vivendo uma ressaca literária), mas gostei muito da sua resenha, achei ela bem clara e informativa, e não é do tipo que mascara possíveis falhas. Gosto dessa sinceridade em resenhas, acho que todos os blogs deveriam ser assim. Parabéns! :)

    P.S.: sobre teu comentário em A Seleção, eu estava dividida entre Aspen e Maxon no primeiro livro (mas era mais Aspen), mas depois de A Elite, céus, sou Aspen até nas próximas vidas, ehehehe. ;*

    Att.,
    Eduarda Henker
    http://blogsomaisum.blogspot.com.br

    ResponderExcluir